Brasília Amapá |
Manaus

Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken diz a Lula que não há genocídio em Gaza

Compartilhe
Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken diz a Lula que não há genocídio em Gaza

Mundo – Em um encontro tenso e crucial no Palácio do Planalto, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, confrontou o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva sobre suas recentes declarações controversas relacionadas ao conflito em Gaza. A reunião, ocorrida na quarta-feira, 21 de fevereiro, foi marcada por debates acalorados e pontos de vista opostos sobre a situação no Oriente Médio.

O embate diplomático foi desencadeado pelas declarações de Lula, que comparou as ações de Israel na Faixa de Gaza ao Holocausto perpetrado pelo regime nazista. Essas palavras inflamadas desencadearam uma reação enérgica de Israel, resultando na declaração de Lula como persona non grata e levantando a possibilidade de um rompimento nas relações diplomáticas entre Brasil e Israel.

Antony Blinken, cuja própria história familiar foi marcada pela tragédia do Holocausto, compartilhou um relato pessoal com Lula, contando a história de seu padrasto, Samuel Pisar, um sobrevivente dos horrores dos campos de concentração nazistas. Pisar, um judeu enviado para Auschwitz ainda criança, testemunhou a brutalidade inimaginável do genocídio perpetrado contra seu povo.

Apesar da emotiva apresentação de Blinken e da clara posição dos Estados Unidos em discordar das acusações de genocídio em Gaza, Lula manteve sua postura, sem recuar de suas declarações controversas.

O Departamento de Estado dos EUA confirmou que a discussão sobre as declarações de Lula foi um dos tópicos centrais da reunião, enfatizando que as críticas do presidente brasileiro não refletem a posição dos Estados Unidos sobre o conflito em Gaza. Além disso, a diplomacia americana reiterou seu compromisso em trabalhar pela paz na região, incluindo esforços para facilitar a libertação de reféns e aumentar a assistência humanitária aos civis palestinos afetados pelo conflito.

Durante a reunião, Antony Blinken também defendeu a criação de um Estado palestino, destacando a importância de considerar as preocupações de segurança de Israel no processo de paz.

Enquanto as tensões diplomáticas entre Brasil e Israel persistem, o debate sobre o conflito em Gaza continua a ser um ponto de discordância entre líderes mundiais.


Siga-nos no Google News Portal CM7