Brasília Amapá |
Manaus

Donald Trump diz que retirada fracassada do Afeganistão encorajou Putin a invadir a Ucrânia

Compartilhe

Mundo – O ex-presidente Donald Trump, disse que o presidente russo Vladimir Putin foi ”encorajado” a invadir a Ucrânia depois de testemunhar a retirada ”incompetente” dos EUA do Afeganistão no ano passado. O comentário foi feito após uma coletiva de imprensa que ocorreu na última sexta-feira (11), onde a Casa Branca continua a sinalizar urgência no que se refere à invasão russa da Ucrânia.

“Primeiro de tudo, é chocante porque nunca deveria ter acontecido, não teria acontecido”, disse Trump na ”Fox & Friends”.

Trump estava reagindo às crescentes tensões na fronteira Ucrânia-Rússia em meio a temores de uma possível invasão russa. O Departamento de Estado ordenou que o pessoal não emergencial da embaixada em Kiev, fosse evacuado, logo em seguida o conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, pediu aos americanos que saíssem do país.

“Como dissemos antes, estamos na janela e uma invasão pode começar a qualquer momento, caso Vladimir Putin decida ordená-la”, disse Sullivan em uma coletiva de imprensa na Casa Branca.

Trump diz ainda que a culpa pela situação pertence ao governo Biden por conta da retirada do Afeganistão em agosto de 2021, alegando que tanto a China quanto a Rússia estavam observando de perto.

“Chegamos até aqui quando eles observaram o Afeganistão e assistiram à retirada mais incompetente da história de provavelmente qualquer exército, menos nós e o presidente Xi [Jinping] e o presidente Putin. Veja o que acontece com a China e muito em breve também com Taiwan. Eles assistiram aquilo e disseram: ‘O que está acontecendo? Eles não sabem o que estão fazendo.’ E, de repente, acho que eles ficaram muito mais ambiciosos.”

Administração de Biden sinaliza possível invasão russa

“Acho que Putin realmente queria negociar por um período de tempo, mas quando ele assistiu ao Afeganistão, quando viu aquela retirada inacreditavelmente ruim, incompetente, onde eles tiraram os militares primeiro, onde deixaram para trás US $ 85 bilhões em equipamentos para o Talibã ter e usar e, claro, as mortes que aconteceram – quando eles assistiram a tudo isso, acho que ficaram encorajados”.

Ele alegou novamente que a situação não estaria onde está agora se ele ainda fosse presidente.

ARQUIVO – Nesta foto de arquivo de 28 de junho de 2019, o presidente Donald Trump, à direita, cumprimenta o presidente russo, Vladimir Putin, à esquerda, durante uma reunião bilateral à margem da cúpula do G-20 em Osaka, Japão. (Foto AP/Susan Walsh, Arquivo)

“Eu o conheço muito bem, me dei muito bem com ele, interrompi seu pipeline, eu os sancionei mais do que ninguém jamais os sancionou”, disse ele. “Ninguém nunca foi tão duro com a Rússia, mas eu me dei muito bem com Putin, nós nos respeitávamos. Acho que você tem um jogo totalmente diferente agora.”

O presidente Biden falará com Putin no sábado, mas Trump descartou a importância de tal telefonema.

“Este é apenas um exercício, ele não vai dizer nada a ele e não acho que neste momento Putin esteja ouvindo”, disse ele.

*Com informações do Epoch Times*. 


Siga-nos no Google News Portal CM7