Brasília Amapá |
Manaus

Ordem para mat4r servidor do TCE-AM veio da Bahia, diz preso envolvido no crime

Compartilhe
Ordem para mat4r servidor do TCE-AM veio da Bahia, diz preso acusado do crime

Amazonas – Uma intricada teia de crimes começa a se desvendar em Manaus, com a prisão de João Gabriel da Silva Almeida, vulgo “GB”. Ele é acusado tanto de integrar uma organização responsável por roubos em clínicas médicas na cidade quanto também de participar da morte do advogado e servidor do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Erwin Rommel Godinho Rodrigues. Além disso, as conexões dele com um assassinato chocante ganharam destaque, após GB revelar que a ordem para matar teria vinda da Bahia.

Veja vídeo: Saiba quem é o bandido que ass4ssinou friamente servidor do TCE-AM em Manaus

Segundo informações policiais, “GB”, que foi preso envolvido no assassinato, revelou ainda que a razão, segundo ele, seria uma dívida que a vítima estaria cobrando no estado da Bahia, envolvendo honorários advocatícios. O delegado Cícero Túlio, titular do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), explicou que as investigações sobre essa organização criminosa iniciaram após um roubo que causou um prejuízo considerável a um estabelecimento, totalizando R$ 300 mil em perdas. Durante esse processo, a polícia se deparou com informações conectadas a um caso de homicídio investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

“Estávamos investigando essa quadrilha especializada em furtos a clínicas médicas em Manaus. No decorrer das investigações, cruzamos informações com a DEHS. O veículo utilizado nos assaltos também teria sido empregado como apoio durante o assassinato do servidor do Tribunal de Contas”, explicou o delegado.

Durante a prisão de “GB”, foram encontrados materiais em casas de receptadores, mas foi na residência do suspeito que surgiram confissões perturbadoras. Ele admitiu sua participação no homicídio e revelou ter fornecido a arma usada no crime.

O motivo por trás da execução, segundo o titular do 1º DIP, foi uma dívida que a vítima estaria cobrando referente a honorários advocatícios na Bahia. “GB” relatou que ele e Hewerton Kauan Oliveira Cavalcante, 18 anos, tinham a missão de sequestrar o servidor, mas durante a ação, o pistoleiro se assustou e acabou executando a vítima.

Recentemente, Hewerton foi preso pela DEHS. Alegou ter sido contratado por R$ 5 mil para o assassinato, mas não recebeu o pagamento prometido. Sua alegação de desconhecer o contratante levanta suspeitas, levando a polícia a acreditar que ele possa estar escondendo informações cruciais sobre o mandante por trás do assassinato brutal do advogado do TCE-AM.

Hewerton Kauan Cavalcante (esquerda) e João Gabriel da Silva Almeida o GB (direita)


Siga-nos no Google News Portal CM7