Brasília Amapá |
Manaus

Justiça decreta prisão preventiva de motorista por m0rte de estudante em Manaus

Compartilhe

Manaus – Nesta terça-feira (18), a Justiça do Amazonas determinou a prisão preventiva de Emílio da Silva Castro, motorista de caminhão caçamba, após ele atropelar e causar a morte da adolescente venezuelana Lorena Alexandra, de 14 anos. O acidente fatal ocorreu em frente a uma escola no bairro Nova Cidade, na Zona Norte de Manaus.

O advogado Leonardo Marques, que representa a família da vítima, confirmou a decisão judicial. Emílio da Silva Castro, que prestava serviço para a empresa de materiais de construção João de Barro, foi submetido ao teste do bafômetro, que apontou um resultado de 0,75 mg/L, muito acima do limite permitido de 0,04 mg/L. O crime foi configurado como doloso, excluindo a possibilidade de ser tratado como culposo.

No mesmo dia, durante o velório de Lorena Alexandra na Zona Norte de Manaus, representantes da empresa João de Barro compareceram para informar à família que não arcariam com os custos do funeral, sugerindo que a família busque reparação na Justiça. Esta atitude causou revolta e indignação entre os presentes, conforme relatado pelo advogado de defesa.

Para a imprensa, no entanto, a empresa João de Barro declarou que está fornecendo toda a assistência necessária à família e lamentou profundamente o ocorrido.

O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito, e Emílio da Silva Castro deve ser transferido para um presídio da capital. A jovem Lorena Alexandra será cremada, encerrando um trágico capítulo que abalou a comunidade local e trouxe à tona questões de segurança no trânsito e responsabilidade empresarial.

Leia mais:

Mãe entra em desespero ao saber que filha m0rreu atr0pelada por motorista bêbado em Manaus: “meu bebê não!”; veja vídeo 

Exame de alcoolemia confirma embriaguez de motorista que m4t0u estudante em Manaus 


Siga-nos no Google News Portal CM7