Brasília Amapá |
Manaus

Israel testa primeira aplicação da 4ª dose de vacina contra Covid em enfermeira

Compartilhe
Israel testa primeira aplicação da 4ª dose de vacina contra Covid em enfermeira

Mundo – Um hospital de Israel administrou quartas doses de vacina contra Covid-19 a um grupo de teste nesta segunda-feira, enquanto o país cogita aprovar a ação para populações vulneráveis na tentativa de frear uma disparada de infecções atiçada pela variante Ômicron do coronavírus.

O estudo do Centro Médico Sheba de Ramat Gan, nos arredores de Tel Aviv, “se concentrará na eficácia da vacina para a produção de anticorpos, e sua segurança, de forma a determinar se uma quarta vacina é necessária em geral”, disse um porta-voz. Todos os 150 participantes são profissionais de saúde.

Na semana passada, uma comissão de especialistas do Ministério da Saúde local recomendou que Israel se torne o primeiro país a oferecer uma quarta dose de vacina, também conhecida como ‘segundo reforço‘, para as pessoas de mais de 60 anos, pessoas que sofrem com sistemas imunológicos comprometidos e profissionais de saúde.

A proposta foi acolhida pelo governo israelense, que vê a procura por vacinas estacionar.

Mas a quarta dose ainda aguarda a aprovação final do diretor-geral do ministério, Nachman Ash, cuja decisão será tomada sem intervenção governamental, disseram autoridades.

Dada a preocupação com a falta de dados de testes, Ash pode retificar os critérios de seleção elevando o patamar de idade para 70 anos e tirando os profissionais de saúde da lista, noticiou a mídia israelense.

O Ministério da Saúde de Israel não confirmou nem negou a informação, e tampouco disse para quando se espera a decisão de Ash.

Cerca de 63% dos 9,4 milhões de habitantes de Israel já receberam as primeiras duas doses da vacina, de acordo com dados da pasta, e quase 45% também receberam uma dose de reforço. Quase dois mil casos confirmados ou possíveis da variante Ômicron foram registrados.

Primeira pessoa a tomar a 4º dose

A primeira a receber a 4º dose foi uma mulher: Orna Rahminov, enfermeira do hospital Shbea em Tel Aviv, que nesta segunda-feira (27/12) iniciou um estudo sobre a eficácia do segundo reforço que será injetado em cerca de 150 membros da equipe médica do hospital. .

O Estado judeu, o primeiro país a optar pela quarta dose, decidiu, de qualquer forma, não estender, por enquanto, a administração adicional a toda a população (espera-se apenas uma “amostra” de seis mil pessoas), enquanto se aguarda nova descobertas.

“É uma honra ter sido escolhida”, disse Rahminov, em uma postagem no site do hospital no Facebook. Acrescentando: “Tenho fé nas vacinas.”

Enquanto isso, o ministério da saúde de Israel também concedeu autorização de emergência para o uso do medicamento oral da Pfizer, Paxlovid, contra a Covid. Israel encomendou milhares de doses com o objetivo de combater a variante Omicron: doses que devem chegar ao país na próxima quarta-feira (29/12).

 

Com auxílio de informações via CNN Brasil e L’ulione Sarda

Siga-nos no Google News Portal CM7