Brasília Amapá |
Manaus

Bicho solto: jacaré aparece na praia da Ponta Negra e assusta alunas de Remo; veja vídeo

Compartilhe

Manaus – Por volta das 6h30 da manhã desta terça-feira (18), um Jacaré foi avistado nas margens da praia da Ponta Negra, na zona Oeste de  Manaus. O registro foi feito pela remista Hana Eto Gall, que estava treinando na hora ao lado da  companheira de esporte e disse que quando viu, ficou incrédula diante do tamanho do animal.

“Eu tava praticando o remo ali, ficamos olhando pra ver se ninguém vem, e quando eu vi não acreditei, era muito grande, avisei minha amiga e comecei a filmar, só que ele virou e começou a nada, foi a hora que desliguei a câmera e gritei para as outras pessoas que estavam ali perto: ‘Jacaré, Jacaré!’, mas graças a Deus não aconteceu nada, só foi um susto pra gente e pra ele também”, disse.

Não é a primeira vez

Em junho de 2020, um jacaré de 2,5 metros foi capturado na Praia da Ponta Negra, pelo Batalhão de Policiamento Ambiental (Bpamb), enquanto percorria a avenida. Segundo o policiamento, o motivo do passeio do animal teria sido a busca por alimentação.

Os registros de aparecimentos de jacarés-açu na praia da Ponta Negra tem datação de pelo menos 10 anos. Segundo o biólogo e professor da universidade Federal do Amazonas (Ufam), Ronis Da Silveira, a severa estiagem do Rio Negro e afluentes provoca o avistamento do animal.

“Com a seca, começa a faltar ambiente para o animal e ele começa a correr com a corrente. Eles vivem em um lago e quando seca eles saem de lá, eles fazem isso a muitos anos, Manaus cresceu muito e a praia está no meio desse corredor , com banhistas, embarcações e eles acabam sendo avistados”, disse.

Medo? Ronis ainda fala que não precisa ficar nervoso, o jacaré não tem interesse de vir na praia pois o animal tem mais medo das pessoas, do que as pessoas tem medo dele.

“Eles tem medo da gente, por isso eles são tão velhos, eles tem uma longa experiência e vivência, apesar de serem animais muito curiosos, eles são oportunistas, o risco é muito pequeno, quase inexistente”, completa.

Mais avistamentos

Ainda segunda o biólogo, foi avistado um outro Jacaré-açu em Tefé e provavelmente mais animais poderão ser visto neste período.

“Quando a lamina de água diminui a densidade de ambiente concentra esses animais e podemos ter os avistamentos próximo as pessoas, porém é somente neste período, quando o rio voltar a encher, os animais se dispersam”, finaliza.

Em caso de avistamento, a orientação para os banhistas é que, saia do local, na água ou areia, e acione o salva-vidas imediatamente, que é autoridade máxima na praia. Assim, ele pode isolar a área e, em seguida, acionar os órgãos competentes para a fazer a remoção da espécie.

Patryck Vieira – CM7 Brasil

Veja vídeo:


Siga-nos no Google News Portal CM7