Brasília Amapá |
Manaus

URGENTE: Lucas Picolé troca de advogado após polêmica sobre saúde

Compartilhe
Lucas Picolé troca de advogado após polêmica sobre saúde na prisão

Manaus – Com a aproximação da data da audiência de instrução e os vazamentos sobre a questão de sua saúde, João Lucas da Silva Alves, conhecido como “Lucas Picolé” mudou de advogado. Após dois meses da operação Dracma, passa a assumir a defesa do influenciador digital de 24 anos , Vilson Benayon considerado um dos mais renomados advogados criminalista do Estado do Amazonas.

Novo advogado no caso

Vilson Gomes Benayon Filho é advogado criminalista, há 19 anos, inscrito na OAB/AM 4.820, especializado em direito penal e processual penal pela Universidade Federal do Amazonas. O advogado é também fundador da (ABRACRIM-AM) Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas do Amazonas e seu atual presidente (ABRACRIM-AM), a Associação representa mais de cinco mil advogados criminalistas no Estado e tem seu próprio escritório o Benayon Advogados Associados @benayonadvogados. A sua notoriedade em assumir a defesa nos casos criminais mais desafiadores e de grande repercussão em Manaus tem sido constante na carreira profissional do advogado.

Polêmica sobre saúde

A defesa de “Lucas Picolé” solicitou exames de saúde e a possibilidade de prisão domiciliar após alegações de que o blogueiro teria passado mal na prisão. O pedido se baseia na suspeita de que Lucas Picolé tenha testado positivo para uma doença infecciosa debilitante.

A defesa argumenta que, após quase 10 dias de sua prisão, ainda não haviam sido realizados exames de saúde necessários para garantir a integridade física de Picolé. Segundo informações obtidas com exclusividade pelo Portal e TV CM7 Brasil, Lucas Picolé teria revelado durante uma entrevista no parlatório da instituição penal que seus exames de saúde resultaram positivos para uma doença infecciosa debilitante. A defesa alega que o influenciador não tem recebido tratamento adequado para sua condição e que sofre de sequelas decorrentes da doença.

Veja documento na íntegra:

A solicitação da defesa inclui a requisição de um parecer médico para informar sobre as atuais condições de saúde de Lucas Picolé, bem como detalhes sobre o tratamento, consultas e exames necessários para preservar sua dignidade como ser humano.

A Justiça do Amazonas emitiu um despacho no dia 28 de agosto, instruindo a Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) a emitir um laudo médico para avaliar a situação de saúde do influenciador e determinar se é possível tratá-lo na unidade prisional.

As informações sobre a possível saída de Lucas Picolé da prisão não foram confirmadas pelas autoridades, mas a defesa ainda recorre para garantir o direito constitucional.

Operação Dracma

Lucas Picolé e outras sete pessoas foram recentemente indiciadas por 11 crimes, incluindo associação criminosa, estelionato, lavagem de dinheiro, fraude no comércio, entre outros. O influenciador está preso desde junho, exceto Isabelly Aurora Simplício Souza, de 21 anos, que obteve prisão domiciliar devido à amamentação de seu filho.

O procedimento culminou na articulação da Operação Dracma, dividida em duas fases e deflagradas nos dias 29 de junho e 5 de julho deste ano.

Conforme o delegado Cícero Túlio, responsável pelas investigações, os trabalhos policiais iniciaram no início deste ano, tendo sido apurado a existência de uma organização criminosa responsável por gerir um esquema de rifas clandestinas e ilegais, promovendo, em seguida, a dissimulação e lavagem de dinheiro oriundo das práticas criminosas.

Durante análise nos equipamentos eletrônicos dos indiciados, foi constatado que eles manipularam a escolha dos ganhadores dos sorteios.

“Identificamos que quatro influenciadores digitais de Manaus, sendo eles Aynara Ramilly, Enzo Felipe da Silva Oliveira, 24, conhecido como “Mano Queixo”; Isabelly Aurora Simplício Souza, 21; e João Lucas da Silva Alves, 24, conhecido como “Lucas Picolé”, mantinham um esquema de divulgação e promoção dos jogos de azar, dissimulando os recursos decorrentes das vendas de bilhetes eletrônicos por meio da lavagem de dinheiro”, disse.

 


Siga-nos no Google News Portal CM7