Manaus

Eleições 2022: rejeitado, PT no Amazonas pode ficar sem espaço para pré-candidata a vice em qualquer chapa

Compartilhe
Eleições 2022: Em desespero, PT no Amazonas podo ficar sem espaço para pré-candidata a vice em qualquer chapa

Amazonas – O Partido dos Trabalhadores está em desespero para alocar sua candidata Anne Moura em qualquer chapa que seja. Durante a semana, o partido maculado no Brasil e também no Amazonas, apelou para tentar aproximação dos pré-candidatos ao Governo dos Partidos Solidariedade e MDB.

Solidariedade

No entanto, ao menos o nome do Solidariedade, Ricardo Nicolau, pode estar muito distante em aceitar dividir sua potencial imagem com o PT durante a campanha. Nicolau, representando também a família no grupo Samel, foi duramente atacado pela base de apoio do próprio PT na mídia, por defender a realização de pesquisas com a proxalutamida, o que chegou a render embate judicial contra o grupo O Globo, ao qual a Samel saiu vitoriosa e com a imagem muito positiva desde o pioneirismo com a adoção da cápsula “Vanessa”, que praticamente acabou com as mortes por intubação orotraqueal precoce no Estado do Amazonas, no Brasil e no mundo.

Nem a tentativa de aproximação do deputado estadual Sinésio Campos (PT-AM) na Aleam, que sugeriu condecoração ao irmão Luís Alberto Saldanha Nicolau, foi suficiente para que a esquerda ligada ao PT parasse de atacar Ricardo Nicolau. Pelo contrário. Reflexo disso, é que em 2022 a relação entre Nicolau e Sinésio esfriou e anda esbarrando em atritos e alfinetadas de ambos um contra o outro na Assembleia Legislativa do Amazonas, como as vistas em 25 de maio. Além disso, a direção do Solidariedade também pode avaliar que a aliança com o PT possa criar um potencial de rejeição que atrapalhe a ascendência de Ricardo Nicolau nas últimas pesquisas.

MDB

Resta ao PT então apelar em tentar costurar uma chapa com Eduardo Braga. A questão é que o pré-candidato sabe que estar associado ao Partido dos Trabalhadores pode aumentar seu índice de rejeição e diminuir as chances de ao menos disputar o segundo turno. Desde modo, o MDB buscaria uma parceria, por exemplo, com o PSDB, que teria o nome indicado pelo próprio Arthur Neto. Essa parceria não seria nada estranha, mas o caminho natural de aliança, uma vez que a própria chapa nacional do PSDB resolveu apoiar a pré-candidata da presidência  Simone Tebet, que faz parte do MDB.

Desta forma, Eduardo Braga deve acabar seguindo pelo mesmo caminho e descartar chapa com Anne Moura. Ainda que o PT-Amazonas transfira para a Direção Nacional a decisão sobre o nome indicado para chapa a disputa ao governo, pode correr o risco de não ter ninguém que a aceite.