Manaus 32º
quarta-feira - 18 de maio de 2022

Sem aguentar críticas e a alta rejeição, Omar Aziz limita comentários no Facebook

Compartilhe
Sem aguentar as críticas e a alta rejeição, Omar Aziz limita comentários no Facebook

Brasil – Após o alto número de comentários negativos, que evidenciam o alto índice de rejeição, o senador Omar Aziz (PSD) restringiu nesta quarta-feira (18) os comentários no Facebook. O senador que é líder do PSD e pré-candidato à reeleição na bancada do Amazonas ao senado, impediu que os usuários da rede social pudessem comentar nas postagens.

Assunto que causa terror em Omar

“Operação Maus Caminhos”, desencadeada pela Polícia Federal e amplamente divulgada pela imprensa nacional, tem sido assunto que constantemente ressurge e causa terror em Omar Aziz. O tema abre espaço para que familiares do senador, que integram e integravam a gestão pública, sejam acusados de formarem uma organização criminosa que saqueou os cofres públicos da saúde no estado do Amazonas. 

Processa pessoas comuns

Quem quer que ouse tocar no assunto das Operações que citam o nome de Omar – “Maus Caminhos”, “Operação Cashback” e “Operação Vertex”, vira alvo fácil de processo protocolado pelo advogado de Omar Aziz.  Muitos são apenas cidadãos comuns, expressando apenas a liberdade constitucional em manifestar sua indignação contra uma figura pública e política.

A atitude do senador é completamente anti-democrática e mostra uma tendência totalitária, de quem não gosta de ser confrontado. Uma total hipocrisia, visto que o senador Omar comumente acusa o presidente Jair Messias Bolsonaro de ter atitudes “anti-democráticas”, mas é justamente Bolsonaro que defende o direto de expressão, o livre-debate e discurso, seja de pessoas comuns ou da imprensa.   

Engajamento baixo

As redes sociais de Omar apresentam baixo engajamento se comparado com as redes sociais de seus adversários na disputa pelo senado federal e dependem ou de impulsionamento das postagens para ter alcance ou de tentativas de ataque ao presidente Jair Bolsonaro. 

Vitória Supermercados