Manaus

O drama de Bosco Saraiva: perdeu R$ 233 mil em Brasília e agora quer voltar a ganhar dinheiro no AM

Compartilhe
O drama de Bosco Saraiva: perdeu R$ 233 mil reais em Brasília e agora quer voltar a ganhar dinheiro no AM

Manaus – Eleito em 2018 deputado Federal, Bosco Saraiva (Solidariedade) está descendo um degrau na política e deseja se tornar candidato a deputado estadual. Por trás desse recuo no escalão da carreira está um fato interessante: o patrimônio declarado do político diminuiu nestes últimos quatro anos. Em 2022, Bosco declarou à Justiça Eleitoral o patrimônio de R$371.669,42. Um valor significativo, mas muito abaixo do que tinha em 2018.

Quando disputou ao cargo de deputado Federal em 2018, Bosco Saraiva havia declarada à Justiça Eleitoral R$605.154,08, em torno de R$ 233 mil reais a mais do que atualmente possui. Ao longo de 4 anos, Bosco alega para a Justiça que empobreceu uma média de R$ 58 mil por ano.

Problemas com a Justiça

Em 2020, Bosco Saraiva compunha a lista dos 106 deputados Federais alvos de investigação na Justiça. No caso, crimes contra a Ordem Tributária, elencados no TJ-AM 0231821-67.2011.8.04.0001.

Popularidade em baixa

Cumprindo em 2022, o último ano do seu mandato, que iniciou em 2018, quando saiu da Câmara Municipal de Manaus (CMM), como presidente da Casa defensor de Arthur Virgílio, o deputado federal tem tido pouca atuação e expressão no Congresso Nacional. Além disso, Bosco é também o deputado federal mais tem gastos com o “Cotão”. De acordo com dados do Portal da Transparência, até o mês de abril deste ano, Bosco já havia gastado R$ 188.988,27. Sendo, R$ 36.572,34 em janeiro; R$ 70.842,66 em fevereiro; R$ 44.163,27 em março e R$ 37.410,00 no mês de abril.

Além disso, o Bosco Saraiva se envolveu em outro escândalo que abalou ainda mais sua popularidade. O político é acusado de ter destinado R$ 2 milhões ao município de Padre Bernardo, em Goiás, no chamado “orçamento paralelo” em troca de apoio de colegas do partido à ZFM (Zona Franca de Manaus).

Saraiva disse que subscreveu a ‘indicação’ em 2020 a pedido de um colega de partido. Bosco e um colega de sigla, Ottaci Nascimento (RR), enviaram dinheiro para compra de máquinas agrícolas ao município goiano, distante de seus redutos eleitorais, a pedido do líder da legenda, Lucas Vergílio (GO). As vantagens que Bosco alega ter feito em favor da ZFM, no entanto, acabaram nunca aparecendo, com o Polo Industrial de Manaus (PIM) ainda refém do velho modelo de isenção fiscal, venerável aos interesses da velha política.

Há quem diga que o político segue tão desacreditado em sua carreira política, que se as eleições deste ano fossem para o município, Bosco Saraiva desceria ainda mais degraus e arriscaria ao cargo de vereador, só para não perder a mamata da vida política.