Brasília Amapá |
Manaus

MPF investiga possíveis irregularidades em obra de Simão Peixoto em Borba

Compartilhe

Amazonas – O Ministério Público Federal (MPF) instaurou um procedimento para investigar possíveis irregularidades na obra de construção do muro de contenção do município de Borba.

A denúncia é do vice-prefeito, José Pedro Graça (PSD), que acusou o prefeito Simão Peixoto (PP) de utilizar R$ 11 milhões de recursos federais de forma irregular.

Segundo a denúncia, o prefeito teria direcionado a licitação para a empresa Costaplan Construções Ltda., que teria prestado serviços de forma insatisfatória.

O muro de contenção, que tem 10 km de extensão, deveria ter sido concluído em 2022, mas ainda não foi finalizado.

O vice-prefeito também acusou o prefeito de improbidade administrativa e dano ao erário. Segundo ele, o prefeito teria causado prejuízo de mais de R$ 2,3 milhões aos cofres públicos.

O MPF informou que irá apurar as denúncias e tomará as medidas cabíveis.

Batalha judicial entre administradores municipais

A denúncia do vice-prefeito vem se somar a uma série de divergências entre os administradores municipais. Recentemente, o vice-prefeito afirmou que vem sofrendo perseguições por parte do prefeito.

Em um processo judicial, o vice-prefeito pede a rescisão do contrato com a empresa Costaplan Construções Ltda, o afastamento do prefeito Simão Peixoto e a proibição da empresa de contratar com a prefeitura de Borba.

Ainda não há uma decisão judicial sobre o caso.

Veja documento


Siga-nos no Google News Portal CM7