Brasília Amapá |
Manaus

Gestão de Raylan Barroso é investigada pelo MP-AM após obras paradas em escolas de Eirunepé

Compartilhe
Gestão de Raylan Barroso é investigada pelo MP-AM após obras paradas em escolas de Eirunepé

Amazonas – O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) voltou suas atenções mais uma vez para a cidade de Eirunepé, no coração do Amazonas, devido a preocupações persistentes relacionadas às obras em escolas municipais.

Nos últimos dias 12 e 19 deste mês, o MP iniciou novas investigações, questionando se as obras estão genuinamente paralisadas e concedendo ao município um prazo apertado de 15 dias para contestar essa afirmação, apresentando evidências concretas em contrário.

Dessa vez, a investigação se concentra em uma escola localizada no bairro Fátima, na avenida Getúlio Vargas, onde o MP alega que, até o momento, somente a fundação foi construída. Essa descoberta levanta sérias preocupações sobre o atraso na entrega das tão necessárias instalações educacionais.

Não é a primeira vez que Eirunepé enfrenta esse tipo de investigação. A gestão liderada por Raylan Barroso (União Brasil), já havia sido alvo de procedimentos similares em relação a outras obras em escolas nos últimos meses. Em todas as ocasiões, o MP concedeu ao município um período de 15 dias para fornecer as informações solicitadas pelo órgão fiscalizador.

O MP solicita, entre outras informações, que o município forneça uma lista detalhada de todas as obras relacionadas à educação básica, incluindo o nome da unidade e sua localização. Além disso, o órgão busca identificar as obras que estão inacabadas ou paralisadas, bem como aquelas que já foram concluídas, mas que ainda não estão funcionando plenamente.

Uma das principais justificativas para a iniciativa do Ministério Público é o lançamento do Pacto Nacional pela Retomada de Obras e Serviços de Engenharia destinados à Educação Básica, um programa que visa investir quase R$ 4 bilhões em todo o país. O MP está determinado a garantir que os recursos destinados à educação em Eirunepé sejam usados de forma eficaz e que as obras sejam concluídas dentro dos prazos estabelecidos.

Os próximos passos das investigações incluirão uma análise minuciosa das informações fornecidas pelo município, bem como verificações in loco para determinar o status atual das obras em questão.

Veja documento:

 


Siga-nos no Google News Portal CM7