Brasília Amapá |
Manaus

Farra com dinheiro público: Silas Câmara paga quase R$ 50 mil a ex-assessora denunciada por tráfico de influência

Compartilhe

Amazonas – Logo após a grande polêmica do esquema de ‘rachadinha’, o deputado federal Silas Câmara (Republicanos-AM), reeleito em 2022 para o sétimo mandato, voltou a se envolver em escândalos. Agora, por supostamente favorecer assessores com valores exorbitantes.

O Portal CM7 Brasil apurou que a  ex-assessora do parlamentar, Emília Arcanjo Nascimento, recebeu um valor de R$ 49,3 mil somente no mês de janeiro para prestar serviços de consultoria, pesquisa e trabalhos técnicos. A contratação da funcionária em questão ocorreu através da empresa Anexo 4, que presta serviços de assessoria, marketing e divulgação.

Emília, que havia sido exonerada do cargo de assessora por possuir um suposto tráfico de influência, aparentemente agradou tanto Silas que ele achou um método de continuar trabalhando com ela. E vale citar que tudo foi pago com o dinheiro da cota para o exercício de atividade parlamentar, o famoso Cotão, que aparentemente Silas não tem pena de gastar.

Inclusive, vale ressaltar que o deputado em questão é um dos que mais gastou dinheiro público em 2021 a nível nacional, ocupando o sétimo lugar.

Por mais que haja a ‘desculpa’ de ser o parlamentar que mais viaja para o interior do estado, gera estranheza os valores altíssimos empregados apenas em despesas de viagens. Tudo mostra que quando se trata de recursos públicos, que poderiam ser injetados na saúde, educação e segurança pública, Silas não tem medo de gastar.

Não é atoa que o deputado, que ironicamente ainda é pastor, quase perdeu seu mandato por ter participado de um esquema de rachadinha. Ele confessou o crime e fez um acordo com Supremo Tribunal Federal (STF), para pagar o valor de R$ 242 como penalidade.

Agora, Silas segue em mais um mandato sem ter tido o seu julgamento merecido e aparentemente, ainda enganando a população.


Siga-nos no Google News Portal CM7