Brasília Amapá |
Manaus

‘Reajustes’ em 2024 deixarão preços de remédios ainda mais caros no Brasil

Compartilhe
‘Reajustes’ em 2024 deixarão preços de remédios ainda mais caros no Brasil

Brasil – Os medicamentos, cujos preços já aumentaram 5,6% no ano passado, enfrentarão uma nova onda de reajustes em 2024. Um cenário complexo de aumentos se desenha com dois ‘reajustes’ previstos para ocorrer em boa parte do país, elevando ainda mais o custo dos remédios. Entenda as causas dessa escalada de preços que já começou a afetar o bolso dos consumidores.

O primeiro gatilho desse aumento já está em curso neste mês, fruto do aumento do ICMS em pelo menos dez estados e no Distrito Federal. O segundo reajuste está programado para março, quando a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) realizará o reajuste anual autorizado pelo governo.

Sergio Mena Barreto, CEO da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), destaca a inevitabilidade desse aumento nos preços. Ele explica que o ICMS, um imposto pago antecipadamente, é repassado diretamente às farmácias, que não têm condições de segurar esses repasses.

“Já vem na nota fiscal o novo imposto e isso é acrescido no valor que vendem para a gente. Por isso, o setor é obrigado a repassar esse preço”, esclarece Barreto.

A medida de aumentar o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) foi uma reação dos governadores à reforma tributária. Até o momento, dez estados e o Distrito Federal elevaram a alíquota do tributo, alegando a recomposição de receitas perdidas em 2022.

Todos os tipos de medicamentos serão afetados por essa medida, já que a alíquota incide de maneira igual sobre todos os produtos, conforme destaca o presidente da Abrafarma. A Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar) também alerta que o aumento do ICMS inevitavelmente se refletirá no custo final dos medicamentos.

Os estados que aumentaram a alíquota do ICMS:

Bahia

Ceará

Distrito Federal

Goiás

Maranhão

Paraíba

Pernambuco

Paraná

Rio de Janeiro

Rondônia

Tocantins


Siga-nos no Google News Portal CM7