Brasília Amapá |
Manaus

Programa Bolsa Família: mais inclusões, mas também cortes e redução do benefício

Compartilhe

Brasil – Desde o relançamento do Bolsa Família, o governo federal anunciou que 1,3 milhão de famílias foram incluídas no programa, o que representa um avanço significativo na assistência social. No entanto, enquanto novas concessões foram feitas em julho, o número total de beneficiários registrou uma queda notável, e o valor médio do benefício também sofreu redução.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, que é responsável pela distribuição dos valores, não foram divulgados dados sobre a quantidade de pessoas que tiveram o benefício cancelado, levantando questionamentos sobre a transparência das informações. Essa omissão tem gerado preocupações sobre a garantia da estabilidade financeira das famílias mais vulneráveis.

Em julho, o governo reportou que foram concedidos 40,7 mil novos benefícios graças ao sistema de busca ativo, uma iniciativa desenvolvida pela pasta que visa identificar e incluir famílias elegíveis para o programa. A medida foi elogiada por especialistas, uma vez que amplia o alcance da assistência a quem realmente precisa.

Entretanto, quando comparado ao antigo programa, o Auxílio Brasil, o número de beneficiários do Bolsa Família apresentou uma redução de aproximadamente um milhão de famílias. Em dezembro de 2022, 21,6 milhões de beneficiários recebiam o auxílio, enquanto em julho deste ano, esse número caiu para 20,9 milhões.

A diminuição do quantitativo de beneficiários levanta discussões sobre possíveis critérios mais rigorosos para a seleção das famílias contempladas e também sobre a adequação do valor do benefício para atender às demandas básicas dessas famílias.

Além disso, outra informação não divulgada oficialmente pelo governo federal foi a redução do valor médio do benefício. Em junho deste ano, as famílias recebiam, em média, R$ 705,40. Porém, no mês de julho, o valor médio caiu para R$ 684,17. Essa queda pode impactar diretamente no orçamento das famílias e dificultar ainda mais o enfrentamento da pobreza.

As mudanças no programa têm sido alvo de discussões e debates na esfera política e entre especialistas em assistência social. A necessidade de se garantir a transparência nos dados, tanto sobre inclusões quanto sobre cancelamentos, é uma questão urgente para se compreender melhor os impactos do programa na sociedade.

O Bolsa Família, um dos principais programas de transferência de renda no país, tem o objetivo de combater a pobreza e reduzir a desigualdade social. Diante das mudanças e dos desafios apresentados, é fundamental que o governo e a sociedade trabalhem em conjunto para garantir a efetividade e a justiça desse importante instrumento de auxílio às famílias mais vulneráveis.


Siga-nos no Google News Portal CM7