Brasília Amapá |
Manaus

Peso argentino desvaloriza menos que o Real e Brasil tem a pior moeda entre emergentes em 2024

Compartilhe

Brasil – Na tarde desta segunda-feira (17), por volta das 16h, o real ultrapassou o peso argentino em desvalorização, consolidando-se como a moeda de pior desempenho entre os países emergentes em 2024. O dólar, usado como referência global, registrou uma valorização de 10,54% frente à moeda brasileira ao longo do ano, enquanto a moeda argentina apresentou uma desvalorização de 10,48% em relação ao dólar.

Essa queda contínua do real tem sido atribuída a diversos fatores econômicos e políticos. A expectativa de juros mais altos nos Estados Unidos é apontada por especialistas como a principal causa do enfraquecimento da moeda brasileira. A perspectiva de uma política monetária mais rígida nos EUA aumenta a atratividade dos títulos norte-americanos, levando a uma fuga de capitais dos mercados emergentes.

Adicionalmente, os ruídos políticos internos têm exacerbado a desconfiança dos investidores em relação ao Brasil. As incertezas sobre a sustentabilidade das contas públicas, agravadas pela mudança na meta fiscal e pela troca na presidência da Petrobras, têm sido motivo de preocupação. Hoje, declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aumentaram ainda mais o receio de uma deterioração econômica, contribuindo para a depreciação do real.

O cenário atual exige atenção redobrada do governo brasileiro. A adoção de medidas que sinalizem comprometimento com a responsabilidade fiscal e a estabilidade econômica é crucial para recuperar a confiança dos investidores e estabilizar a moeda. Sem ações concretas, o real pode continuar em queda, afetando negativamente a economia do país e a vida da população.

Essa dinâmica acentua a importância de políticas econômicas bem estruturadas e de uma comunicação clara e consistente por parte das autoridades, ausentes na atual gestão. O futuro do real e a estabilidade econômica do Brasil dependerão da capacidade do governo de enfrentar esses desafios e de implementar reformas que promovam um ambiente mais seguro e atrativo para os investimentos.


Siga-nos no Google News Portal CM7