Brasília Amapá |
Manaus

Inflação no Brasil sobe 0,42% em janeiro, pressionada pela alta dos alimentos

Compartilhe
Inflação no Brasil sobe 0,42% em janeiro, pressionada pela alta dos alimentos

Brasil – O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (8) os dados da inflação oficial do mês de janeiro, apontando um aumento de 0,42%. Este índice, embora represente uma alta, fica abaixo do registrado em dezembro, que foi de 0,56%. No acumulado dos últimos 12 meses, o índice soma 4,51%.

Um dos principais fatores para esse aumento foi o grupo de alimentos e bebidas, que subiu 1,38% no mês de janeiro. Esse aumento é explicado, em grande parte, por fatores climáticos que afetaram diversas regiões produtoras do país, conforme explicou André Almeida, gerente da pesquisa do IBGE.

Alguns alimentos pesaram mais no bolso do brasileiro, como a cenoura (43,85%), batata-inglesa (29,45%), feijão-carioca (9,70%), arroz (6,39%) e frutas (5,07%). Almeida contextualizou que a presença do fenômeno El Niño intensificou esse aumento, especialmente no caso do arroz, cuja produção na Índia foi afetada por questões climáticas, resultando em menos produto disponível e, consequentemente, preços mais altos.

Por outro lado, o grupo de transportes, que é o segundo com maior peso na cesta mensal das famílias, apresentou uma deflação de 0,65% em janeiro. Esse alívio se deu, principalmente, pela queda nos preços das passagens aéreas, que haviam subido expressivamente nos meses anteriores. Além disso, houve queda nos preços dos combustíveis, como etanol, óleo diesel e gasolina, contribuindo para conter o índice geral de inflação.

O IPCA é considerado a inflação oficial do país e é utilizado pelo Banco Central para monitorar a meta oficial de inflação, que é de 3% no acumulado de 12 meses, com uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Com o resultado de janeiro, o acumulado de 12 meses diminuiu para 4,51%.

Além do IPCA, o IBGE também divulgou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que aponta a inflação para famílias com renda de um a cinco salários mínimos. Em janeiro, o INPC registrou uma alta de 0,55%, ficando acima do IPCA, principalmente devido ao maior peso do grupo de alimentos e bebidas para essa faixa de renda.

Esses dados refletem a complexidade e a dinâmica dos diferentes setores que compõem o índice de inflação no país, mostrando como fatores como o clima e os preços dos combustíveis podem impactar diretamente no custo de vida das famílias brasileiras.

Crédito: O Sul

Siga-nos no Google News Portal CM7