Brasília Amapá |
Manaus

‘Vamos proibir cães da raça American Bully XL em nosso país’, diz Ministro do Reino Unido

Compartilhe
'Vamos proibir a raça de cães American Bully XL em nosso país', diz Ministro do Reino Unido

Mundo – O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, anunciou que a maior variante da raça de cães American Bully XL será banida do Reino Unido até o final deste ano. A decisão vem em resposta a uma série de ataques graves envolvendo essa raça, incluindo uma onda de ataques fatais de cães da raça no país. 

O anúncio de Sunak também chega menos de uma semana após outro ataque de um cão da mesma raça a uma menina de 11 anos, que estava a caminho das compras com sua irmã na cidade de Birmingham. Ao revelar o plano de proibição, Sunak declarou que “compartilha o horror da nação” diante dos recorrentes ataques envolvendo cães da raça American Bully XL.

“Está claro que não se trata de um punhado de cães mal treinados; é um padrão de comportamento que não pode continuar”, afirmou Sunak em seu anúncio.

O primeiro passo será a definição dos critérios que caracterizam os American Bully XL por parte de especialistas, o que impulsionará a proibição completa desses animais. Algumas preocupações foram levantadas devido ao fato de que a raça não é oficialmente reconhecida pelo Royal Kennel Club, devido às suas semelhanças com outras raças. O American Bully XL surgiu por meio do cruzamento de American Pit Bull Terriers e American Staffordshire Terriers e começou a aparecer no Reino Unido por volta de 2014, mas o número de exemplares cresceu rapidamente nos últimos anos.

Diversas instituições britânicas de caridade voltadas para o bem-estar animal criticaram a decisão do primeiro-ministro, argumentando que proibir raças específicas de cães não é a solução adequada. Em uma declaração conjunta, essas organizações culparam a “criação e posse irresponsáveis” e instaram o governo a focar em “regulamentações de controle de cães e na promoção da posse responsável e treinamento de cães”.

De acordo com a polícia, no incidente da última quinta-feira, um homem perdeu a vida no centro da Inglaterra durante um ataque de cães, e um indivíduo foi preso sob suspeita de homicídio culposo. O grupo de campanha Bully Watch, que advoga pela proibição da venda e criação da raça American Bully, alega que esses cães foram responsáveis por mais da metade de todos os ataques fatais de cães na Grã-Bretanha no ano passado.

“Nossa pesquisa mostra que esses cães representam uma ameaça clara e presente à saúde pública e são significativamente mais perigosos do que outros cães”, afirmou o grupo.


Siga-nos no Google News Portal CM7