Brasília Amapá |
Manaus

Treta no STF: Mendonça e Barroso discutem durante julgamento sobre descriminalização da maconha

Compartilhe
Treta no STF: Mendonça e Barroso discutem durante julgamento sobre descriminalização da maconha

Brasil – O clima esquentou no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (20/6), durante o julgamento que trata da descriminalização do porte de maconha para uso pessoal. Em um debate acalorado, o presidente do STF, Luís Roberto Barroso, e o ministro André Mendonça trocaram farpas em torno da questão.

A discussão começou quando Mendonça mencionou a posição do presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) sobre o tema. “Não creio e não entendo que o presidente da CNBB esteja sendo vítima de desinformação”, afirmou Mendonça. “A opinião dele é compartilhada por mim e está consignada em meu voto.”

Barroso interrompeu Mendonça para esclarecer que havia conversado diretamente com o presidente da CNBB. “Ele me disse que não estava ciente de que essa era a discussão”, revelou Barroso. “Portanto, me comprometi com ele a prestar esse esclarecimento. Ele se preocupou ao dizer que as drogas fazem mal às famílias e às comunidades. Todos aqui concordam com isso. Ele disse que tinha a informação incorreta.”

Em resposta, Mendonça argumentou que a descriminalização do porte de maconha para uso pessoal seria um desrespeito à vontade do legislador. “O legislador definiu que portar drogas é crime”, afirmou o ministro. “Transformar isso em ilícito administrativo é ultrapassar a vontade do legislador. Nenhum país do mundo fez isso por decisão judicial. Em segundo lugar: sendo um ilícito administrativo, quem vai fiscalizar? Quem vai processar? Quem vai condenar? Quem vai acompanhar a execução dessa sanção?”

Barroso, por sua vez, destacou que já havia abordado esses pontos, embora sem um tom “panfletário”. A troca de argumentos expôs uma clara divisão no STF quanto à descriminalização da maconha, com implicações profundas para a política de drogas no Brasil.

O julgamento prossegue, mas a discussão entre Mendonça e Barroso sinaliza a complexidade e a sensibilidade do tema, envolvendo não apenas questões legais, mas também sociais e morais. A decisão final do STF poderá marcar um momento histórico para a legislação sobre drogas no país, refletindo o intenso debate entre os ministros e as diferentes visões sobre o papel do Judiciário na interpretação das leis.


Siga-nos no Google News Portal CM7