Brasília Amapá |
Manaus

Medo da transparência eleitoral? Onze partidos fecham posição contra voto impresso auditável

Compartilhe

Brasil – Neste sábado (26), presidentes de 11 partidos se reuniram em uma live e decidiram defender o sistema atual de votação, pela urna eletrônica, e contra a proposta do voto impresso auditável que tramita na Câmara dos Deputados.

Participaram do encomtro virtual os presidentes do PSDB, Bruno Araújo, do PSL, Luciano Bivar, do MDB, Baleia Rossi, do PP, Ciro Nogueira, do DEM, ACM Neto, do PSD, Gilberto Kassab, do PL, Valdemar Costa Neto, do Solidariedade, Paulo Pereira da Silva, do Republicanos, Marcos Pereira e do Avante, Luis Tibé.

As legendas também devem procurar o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, para estreitar a relação com aos partidos tendo em vista as eleições do ano que vem.

A comissão especial criada pela Câmara dos Deputados para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19, que torna obrigatório o voto impresso, reúne-se na segunda-feira (28) para apresentação do parecer do relator, deputado Filipe Barros (PSL).

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), diz que instalará o colegiado, apesar de toda a pressão de lideranças políticas e líderes partidários contrários. A pressão exercida por parte da sociedade — sobretudo o eleitorado bolsonarista — ao demandar a pauta nas ruas pode ter sido, contudo, o empurrão que faltava, analisam, otimistas, os congressistas defensores do voto impresso auditável.

Informação: gazetabrasil


Siga-nos no Google News Portal CM7