Brasília Amapá |
Manaus

Comissão de Segurança da Câmara aprova moção contra Flávio Dino

Compartilhe
Comissão de Segurança da Câmara aprova moção contra Flávio Dino

Brasil – Na tarde desta terça-feira (1º), a Comissão de Segurança Pública da Câmara aprovou dois requerimentos apresentados pelo deputado Coronel Assis, do União-MT, que têm como alvo o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino. Os requerimentos visam obter esclarecimentos sobre o polêmico decreto antiarmas, que impacta diretamente a compra, registro e posse de armas e munições, e também buscar informações sobre o resultado dos estudos do grupo de trabalho responsável pela regulamentação do Sistema Nacional de Armas.

O primeiro requerimento aprovado solicita a convocação do ministro Flávio Dino para prestar esclarecimentos detalhados sobre o decreto que restringe o acesso a armas de fogo e munições. A medida tem sido alvo de debates acalorados tanto no âmbito político quanto entre a população, com argumentos a favor da maior segurança pública e contra a restrição ao direito de posse e porte de armas por parte dos cidadãos.

O segundo requerimento, aprovado também na mesma sessão, trata de uma moção de repúdio às declarações de Flávio Dino. O ministro foi criticado pelo deputado Coronel Assis por ter chamado de “desproporcional” a reação da polícia paulista em relação ao assassinato de um policial da Rota por um “sniper do tráfico”. A fala do ministro gerou polêmica e levou o deputado a propor a moção de repúdio, que foi aprovada pela comissão.

Após a aprovação dos requerimentos na Comissão de Segurança Pública, o ministro Flávio Dino enfrenta um momento delicado, pois precisará prestar esclarecimentos sobre o decreto antiarmas e enfrentar as críticas relacionadas às suas declarações sobre a ação policial em São Paulo.

Além disso, a situação também ganhou destaque nas redes sociais, com o ex-presidente Jair Bolsonaro se pronunciando em seu perfil no Twitter. Bolsonaro criticou o ministro, referindo-se a ele como “ministro de Lula” e o acusando de querer investigar a polícia de São Paulo por sua atuação agressiva na caçada ao criminoso que matou um policial militar.

Agora, a convocação do ministro Flávio Dino deverá ser agendada pela Câmara, e a expectativa é que ele apresente informações e esclarecimentos que possam contribuir para um debate mais esclarecedor e transparente sobre o decreto antiarmas e sobre as políticas de segurança pública em vigor no país. Acompanhe as próximas atualizações sobre este tema para ficar por dentro desse importante debate.


Siga-nos no Google News Portal CM7