Brasília Amapá |
Manaus

Bolsonaro diz não ter vacinado filha por medo de efeitos adversos e nega adulteração em cartão de vacinação

Compartilhe
Bolsonaro diz não ter vacinado filha por medo de efeitos adversos e nega adulteração em cartão de vacinação

Brasil – Em entrevista à rádio Jovem Pan nesta quarta-feira (3), o ex-presidente Jair Bolsonaro admitiu que não vacinou sua filha Laura contra a Covid-19 por medo dos possíveis efeitos adversos da vacina, como palpitação, dor no peito, falta de ar ou ‘até mais complicações mais graves’. Ele também negou que tenha cometido qualquer fraude em seu cartão de vacinação ou no da sua filha, alvo de uma investigação da Polícia Federal. Segundo Bolsonaro, sua esposa Michelle foi vacinada com a Janssen nos Estados Unidos em 2021 e passou mal na volta para o Brasil, o que o levou a desconfiar dos imunizantes.

A Polícia Federal investiga se o cartão de vacinação de Bolsonaro e sua filha foram fraudados com a inserção de dados falsos em sistemas do Ministério da Saúde, permitindo que os beneficiados burlassem restrições sanitárias para entrar em países como os Estados Unidos. Bolsonaro negou ter cometido qualquer fraude e disse que, nas suas idas aos Estados Unidos, nunca foi exigido o cartão vacinal. Ele explicou que, quando perguntou se a vacina era exigida para entrar na Itália, foi informado que sim e decidiu não viajar. Segundo ele, o tratamento para chefe de Estado é diferente do cidadão comum.

Bolsonaro também detalhou como foi abordado pela Polícia Federal durante as ações de busca e apreensão em sua residência. Ele afirmou que foi bem tratado pelos agentes e que alguns se sentiram constrangidos por abordá-lo. Segundo o ex-presidente, a deflagração de uma operação sobre o tema é para “esculachar”. Ele disse que poderiam perguntar sobre o cartão e a vacina para ele e que responderia sem problema nenhum.

A entrevista de Bolsonaro à Jovem Pan ocorreu após a Polícia Federal realizar uma operação de busca e apreensão em endereços ligados ao ex-presidente, incluindo a sua casa em Brasília. A operação faz parte de uma investigação que apura se houve fraude na inserção de dados falsos nos cartões de vacinação de Bolsonaro e sua família. A vacinação de M-RNA é considerada pela  Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal medida de prevenção contra a Covid-19.

 


Siga-nos no Google News Portal CM7