Brasília Amapá |
Manaus

Amom Mandel esquece Zona Franca de Manaus e abre empresa em São Paulo

Compartilhe
Amom Mandel esquece Zona Franca de Manaus e abre empresa em São Paulo

Brasil – O pré-candidato a prefeito de Manaus, Amom Mandel, despertou recentemente uma onda de debates ao buscar orientações sobre gestão na cidade de São Paulo. A escolha do local para a busca de conhecimento gerou questionamentos devido à posição do estado paulista em relação à Zona Franca de Manaus (ZFM), um importante polo industrial responsável por gerar mais de 500 mil empregos diretos e indiretos no Amazonas.

Em um momento em que o embate político e econômico entre São Paulo e a ZFM está acirrado, a decisão de Amom Mandel em buscar conhecimento na capital paulista levanta preocupações sobre suas verdadeiras intenções e alianças políticas. Veja vídeo:

Nas últimas décadas, São Paulo é o estado que mais atacou os interesses do Polo Industrial de Manaus (PIM), que fatura mais de R$ 150 bilhões por ano e é responsável por manter 97% das florestas do Amazonas em pé. A tentativa de levar para São Paulo as empresas estabelecidas em Manaus resultou em árduas brigas judiciais e políticas.

A própria trajetória empresarial de Amom Mandel também tem sido objeto de escrutínio. Como sócio de uma empresa sediada em São Paulo, surgem questionamentos sobre seu comprometimento com o desenvolvimento econômico de Manaus. A empresa, A.M Lins Filho e-Com Equipamentos Digitais LTDA, estabelecida na movimentada Avenida Paulista, levanta a questão sobre por que o pré-candidato não optou por investir em sua cidade natal.

Por que escolher São Paulo ao invés de Manaus?

Amom Mandel Lins Filho, que se declara um defensor de Manaus, é sócio de uma empresa registrada em São Paulo. A A.M Lins Filho e-Com Equipamentos Digitais LTDA foi estabelecida em 2019 e tem sede no número 171 da Avenida Paulista, um endereço nobre e um dos locais mais valorizados do Brasil.

Com um capital social declarado de R$ 10 mil, a empresa possui uma gama diversificada de atividades, desde o comércio de alimentos e equipamentos de telefonia e comunicação até a produção de vídeos e programas de televisão, além do fornecimento de serviços de hospedagem na internet e publicidade, entre outros.

Isso levanta a seguinte questão: se Amom tem tanto apreço por Manaus, por que optou por abrir e manter uma empresa em São Paulo, em vez da cidade que ele diz defender e gerar mais oportunidades de emprego?


...........

Siga-nos no Google News Portal CM7