Brasília Amapá |
Manaus

Travesti é morta a tiros por cliente casado após programa

Compartilhe

Uma travesti foi morta a tiros por um cliente após realizar um programa na noite do sábado (21), no Centro de João Pessoa. Segundo a Polícia Militar, outras travestis e garotas de programa que estavam no local viram o crime e chegaram a acionar o socorro, mas a vítima não resistiu.

O crime aconteceu na Rua Monsenhor Sabino Coelho, por volta das 21h (horário local). De acordo com a PM, testemunhas contaram que a vítima chegou em um carro preto e logo em seguida começou a correr, quando foi baleada pelo motorista. A travesti chegou a caminhar até o cruzamento com a Rua Desembargador José Peregrino, mas caiu em seguida.

Ainda segundo a Polícia Militar, as testemunhas contaram que a vítima estava fazendo um programa para o motorista do carro, mas não souberam informar quem era a pessoa. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, mas a vítima não resistiu e morreu antes da chegada da ambulância.

Prisão do suspeito

Foi preso na manhã desta terça-feira (24) um homem suspeito de matar uma travesti, identificada como Bárbara Mendes, na noite de sábado (21), por trás do Fórum Criminal no Centro de João pessoa.

Ele afirmou que agiu em legítima defesa, após ser anunciado um assalto.

O suspeito explicou, em entrevista ao G1, que trabalha como taxista e como segurança. Quando passava pelo local, ele informou que duas travestis acenaram e ele parou acreditando que elas estavam solicitando uma corrida.

“Eu pensei que eram duas mulheres, mas eram duas travestis. Botaram uma faca em mim e outra com uma arma na mão. Falaram ‘é um assalto’”, relatou o suspeito.

Ele ainda disse que não era cliente e nem conhecia a travesti. “Sou casado, pai de quatro filhos. Bem casado há 17 anos”, afirmou.


Siga-nos no Google News Portal CM7