Brasília Amapá |
Manaus

Travesti ativista social é metr4lhad4 por trio criminos0; imagens fortes

Compartilhe

Brasil – Uma travesti ativista, de 32 anos identificada como Jorrana Patrícia da Silva foi morta a tiros por um trio no bairro do Brasil Novo, na Zona Norte de Macapá, na noite deste sábado (6).

Segundo o boletim do Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes), o crime foi cometido por um trio que estava num carro. Além de Jorrana, um homem de 32 anos também foi ferido.

O veículo teria se aproximado das vítimas e os ocupantes começaram a disparar. Jorrana e a segunda vítima foram levadas, por testemunhas, ao Hospital de Emergência de Macapá (HE), mas ela não resistiu.

A ativista, de acordo com informações, era conhecida por sua atuação na área da Zona Norte de Macapá. A polícia não deu detalhes sobre a motivação do crime.

A Polícia Científica do Amapá (PCA) fez a remoção do corpo. A Polícia Civil investiga o caso.

A Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres do Amapá (Sepm) em nota lamentou a morte de Jorrana.

Veja vídeo:

 

Veja nota:

A Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (Sepm) lamenta e repudia veementemente o assasinato da estudante Jorrana Patrícia da Silva, de 32 anos, ocorrido no último sábado, 06, em Macapá. Este crime brutal choca a todos, especialmente pela crueldade infligida a uma travesti.

O centro AMA LGBTI já entrou em contato com a família para oferecer todo o suporte necessário.

A SEPM reafirma seu compromisso e empenho para promover ações que visem coibir crimes dessa natureza contra as meninas e mulheres do Amapá.

Expressamos nossos sinceros sentimentos à família e amigos neste momento.


Siga-nos no Google News Portal CM7