Brasília Amapá |
Manaus

PC-AM conclui investigações e família de Djidja Cardoso deve responder por 12 crimes

Compartilhe

Manaus – Nessa quarta-feira (19), a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) encerrou as investigações sobre o caso Djidja Cardoso, que foi encontrada morta no dia 28 de maio deste ano.

A Operação Mandrágora, que apura as circunstâncias da morte da ex-sinhazinha, prendeu ao todo 10 pessoas, no entanto, o inquérito policial aponta 11 indiciados.

Ademar Cardoso e Cleusimar Cardoso, irmão e mãe de Djidja, são acusados de liderar uma seita religiosa que fazia uso de ketamina e outros alucinógenos. O uso excessivo da substância teria levado a ex-sinhazinha à morte.

Uma coletiva imprensa deve ser realizada nesta quinta-feira (20) para falar sobre o inquérito. O delegado Cícero Túlio dará maiores esclarecimentos sobre o caso.

Leia também:

Drogas, rituais e omissão de socorro: veja tudo o que se sabe sobre a morte de Djidja Cardoso; assista vídeos

Caso Djidja: em seita, Bruno Roberto também acreditava ser ‘Jesus’ e Verônica Seixas era considerada o ‘Espírito Santo’

Vaza vídeo da mãe de Djidja Cardoso rindo enquanto ex-sinhazinha passava mal de cetamina: ‘tomou 3 seringadas’; veja


Siga-nos no Google News Portal CM7