Manaus 32º
domingo - 8 de março de 2020

Missionário é condenado por distribuir arma a indígenas da região Amazônica

Compartilhe

Amazônia – O missionário Luiz Carlos Ferreira, foi condenado pela Justiça Federal, por distribuir arma de fogo no território indígena Zo’e, no oeste do Pará, na Amazônia. Luiz é ligado à Missão Novas Tribos do Brasil.

De acordo com a sentença, a pena é de 2 anos de prisão. Mas em vez de detenção, a pena foi convertida em serviços comunitários e multa, no valor de R$ 20 mil. Além disso, Luiz pode recorrer a sentença em liberdade.

Conforme denúncia do Ministério Público Federal (MPF), em 2016, Ferreira integrava a Missão Novas Tribos do Brasil (hoje chamada de Ethnos 360). Portanto, seu trabalho era contatar e evangelizar a população indígena.

Ao invés disso, conforme o MPF, ele deu uma espingarda a um índio da tribo. Tal arma, que não tinha registro legal, causou perturbação na comunidade, interferindo nas tradições locais.

Na sentença, a Justiça considerou ainda que a arma causou riscos a uma “população vulnerável”.

Alegação derrubada

Ferreira confessou que fez a entrega da arma ao índio. Todavia, alegou que o crime é de 1998 e por isso estaria prescrito. Durante o processo de investigação o MPF provou à Justiça que a arma foi entregue em 2010.

Como reflexo dessa ação missionária, houve inúmeras mortes de indígenas. Por causa disso, missionários foram expulsos e proibidos de retornar à terra indígena.

Ferreira, contudo, desobedeceu a ordem. E ficou em fazendas vizinhas, no município de Santarém.

Segundo o MPF, outro denunciado desse episódio é o castanheiro Manoel de Oliveira. Ele teria submetido 96 indígenas a trabalho escravo.

Fonte: Direto ao Ponto

Vitória Supermercados