Brasília Amapá |
Manaus

Mãe denuncia discriminação de filho autista na ‘Creche Planeta bebê’ em Manaus

Compartilhe

Manaus – Uma mulher registrou um boletim de ocorrência e denunciou nas redes sociais que seu filho de apenas 3 anos, que é autista, sofreu discriminação na Creche Planeta bebê, localizada no bairro Ponta Negra, na zona oeste de Manaus.

O caso teria ocorrido na sábado (13), durante o início de uma apresentação da Feira do Livro. A auxiliar da creche colocou a criança em uma sala sozinho, enquanto os outros amigos de sala estavam em outra sala se preparando pra apresentação. Haianny Paiva mãe do menino, ainda relata ter recebido fotos do filho junto com as crianças, para que pensasse que estava tudo bem com o filho. “Recebi as fotos dele junto com as crianças ou seja, se eu acreditasse em foto ia ‘ta tudo bem’.Desconfie de fotos, Desconfie se seu filho está recusando a entrar na escola. Desconfie se ele parou de comer do nada”, escreveu a mãe.

Enquanto todos as outras crianças estavam juntas na sala, se caracterizando. A auxiliar colocou o autista numa sala o excluindo da concentração para a vestimenta.

A mãe usou suas redes sociais para denunciar a discriminação que o filho vinha sofrendo na unidade de ensino:

Segundo Haianny, o acompanhamento da assistente terapêutica – AT, foi fundamental para ser identificado o tratamento que estava sendo dado ao filho. Ainda conforme a mãe, a mesma funcionária da creche tentou cometer discriminação contra a criança no ano passado. A mãe solicitou as imagens das câmeras de segurança da escola e assistiu juntamente com a diretora e a coordenadora, que ficaram perplexas com as imagens e assumiram o erro da escola.

 

 

Escola super lotada

Segundo os relatos apesar da escola possuir uma mensalidade altíssima,  foram misturados os alunos maiores com os alunos menores da creche, gerando limitações devido a super lotação. Uma delas foi o espaço do refeitório, quando as crianças da creche passaram a comer dentro da sala, além de ficar com a área do parquinho lotado.

 

O portal Cm7 Brasil tentou contato com a escola mas sem sucesso. O espaço fica aberto para esclarecimentos.

 

Discriminação contra autistas é crime

É importante destacar que existem leis que protegem os autistas contra discriminação. A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Lei nº 13.146/2015), por exemplo, assegura o direito à inclusão social, à igualdade de oportunidades e à participação plena nas diversas esferas da sociedade.

A discriminação contra pessoas autistas é um crime inaceitável e deve ser combatido de forma veemente. Ao discriminar uma pessoa autista, estamos negando-lhe o direito básico de ser tratada com igualdade e de ser incluída na sociedade. Isso vai contra os princípios fundamentais de respeito aos direitos humanos e à dignidade de cada indivíduo.

Combater a discriminação contra autistas é uma responsabilidade de todos. Denunciar casos de discriminação e apoiar as vítimas são atitudes importantes para combater essa forma de violência e assegurar os direitos das pessoas autistas.

É fundamental que a sociedade se una na luta pela igualdade e respeito, para que todas as pessoas, independentemente de suas diferenças, sejam tratadas com dignidade e tenham as mesmas oportunidades de desenvolvimento e felicidade. A discriminação contra autista não pode ser tolerada, pois é um crime contra a humanidade.

 


Siga-nos no Google News Portal CM7