Brasília Amapá |
Manaus

Injustiça: Paola Valeiko é absolvida no processo do ‘Caso Flávio’

Compartilhe

Manaus – A réu Paola Valeiko Molina, irmã de Alejandro Valeiko, foi absolvida pela Justiça por faltas de provas que a incriminem no envolvimento do assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues. A decisão judicial foi publicada pela 1ª Vara do Tribunal do Júri na última sexta-feira (17).

Lembrando que Paola respondia por fraude processual, pois supostamente ela que teria limpado o sangue de Flávio, que estava espalhado por vários cômodos da casa onde ocorreu o crime. Ela foi apontada como cúmplice por ter modificado a cena do crime para proteger o irmão.

No entanto, Alejandro Valeiko, acusado pela morte de Flávio, não foi absolvido pela Justiça como a irmã, pois o juiz considera que a defesa não apresentou elementos suficientes que pudessem justificar uma possível absorção do réu no processo.

Os outros acusados pelo crime, Elizeu da Paz de Souza, preso há mais de dois anos, ganhou liberdade provisória. Já Mayc Vinícius Teixeira Parede, que confessou ter esfaqueado Flávio, teve liberdade concedida com medidas cautelares. Ambos aguardarão a data para julgamento no plenário do Tribunal do Júri.

O ”Caso Flávio” tem se postergado há mais de 2 anos na Justiça e tem sido mais um caso que a sociedade luta para que não seja engavetado.

Confira o documento completo: Decisão Judicial – Caso Flávio

Relembre o caso

O homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos ocorreu no dia 29 de setembro de 2019, após uma festa na casa de Alejandro Molina Valeiko. Segundo a polícia, os amigos estavam na casa de Alejandro Valeiko bebendo e usando drogas. De repente, começou uma discussão, seguida de agressões com facas. O engenheiro foi esfaqueado e morreu.

Ainda de acordo com a polícia, Flávio Rodrigues foi encontrado morto no bairro Tarumã, na tarde de segunda-feira, 30 de setembro. O local onde estava o corpo fica próximo à casa de Alejandro.

De acordo com as investigações, o policial militar Elizeu da Paz de Souza, que estava lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e seria segurança de Alejandro, estava dirigindo um carro alugado da Prefeitura. A polícia diz que o PM Elizeu de Souza foi até o condomínio, colocou o corpo no carro da Prefeitura de Manaus e saiu do local da festa.

Lutador de MMA, Mayc Parede confessou sua participação no crime ao ser preso em 2019, alegando ser o culpado pelas facadas desferidas na vítima. Ele aparece em vídeos de segurança dando entrada no condomínio onde ocorreu o crime.

Alejandro cumpriu prisão temporária durante o inquérito policial, mas entrou com um recurso e conseguiu sair do presídio e ser monitorado por uma tornozeleira eletrônica. No entanto, atualmente o filho da ex-primeira dama não faz mais o uso de nenhum aparelho de monitoramento policial.


Siga-nos no Google News Portal CM7