Manaus 32º
quinta-feira - 11 de agosto de 2022

Em dois anos, Base Arpão prende mais de 300 pessoas e causa R$ 133 milhões de prejuízo ao crime no AM

Compartilhe

Amazonas – Em dois anos de atuação na calha do Rio Solimões, a Base Fluvial Arpão efetuou a prisão de 311 suspeitos durante operações policias nas proximidades do município de Coari (a 363 quilômetros de Manaus) e interceptar a circulação de mais de cinco toneladas de drogas, causando R$ 133,9 milhões de prejuízo ao crime organizado.

Os dados foram divulgados pelo Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras e Divisas (GGI-F), da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Criada pelo governador Wilson Lima, a Base Arpão é uma unidade integrada de combate ao crime implantada em uma área estratégica para o combate ao crime e a pirataria.

Segundo o secretário executivo do GGI-F, capitão Diego Magalhães, a base operacional trouxe mais segurança para a população ribeirinha que vive na área do Solimões. Com as fiscalizações de rotina e incursões nas proximidades, o resultado é exitoso para as forças de segurança.

“Essa área era uma área de grande conflito, principalmente com roubos e o tráfico de drogas. Com a presença da Base Arpão nós conseguimos minimizar, transformando aquela área em uma área novamente habitada pelos ribeirinhos que agradecem a presença da polícia no local”, afirmou o capitão.

Outros crimes

Além de combater o narcotráfico, a Base Arpão registrou números expressivos de apreensões relacionadas à pirataria e crimes ambientais. O levantamento do GGI-F destaca a apreensão de 183 eletrônicos, mais de 80 toneladas de animais de caça e pescado, 592 m³ de madeira, 6.000 m³ de minérios e 1,3 quilos de ouro.

“É importante destacar o investimento do Governo do Estado, priorizar o policiamento fluvial, levar condições ao policial militar através de embarcações blindadas, equipamentos de visão noturna. Esse aparato fez com que hoje a Base Arpão se tornasse referência nacional. Também vale ressaltar o convênio com o Governo Federal, através do Ministério da Justiça e Segurança Pública, o qual apoia as nossas ações com a Operação Hórus”, complementou o capitão Diego Magalhães.

Até o final do ano será lançada a Base Arpão II. O local reforçará o trabalho executado pela Base Fluvial Arpão de Coari e será instalada na calha do rio Negro. “Dessa forma vamos dificultar a entrada e chegada de entorpecentes na capital, assim diminuindo os índices de criminalidade na capital e interior do estado”, salientou Magalhães.

Unidade operacional

A Base Fluvial Arpão foi lançada em agosto de 2020 pelo governador Wilson Lima, integrada às ações da operação Hórus, do Governo Federal, a unidade passou a integrar o Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia).

Vitória Supermercados