Brasília Amapá |
Manaus

Djidja Cardoso foi tortur4d4 até a m0rte pela própria mãe em Manaus

Compartilhe

Manaus – A investigação da Operação Mandrágora revelou que Djidja Cardoso, empresária e ex-sinhazinha do Boi Garantido, foi torturada até a morte pela própria mãe, Cleusimar Cardoso. Djidja faleceu no dia 28 de maio, na casa onde residia, na Zona Norte de Manaus.

De acordo com o delegado Cícero Túlio, do 1° Distrito Integrado de Polícia, Djidja, que inicialmente atuava como uma das líderes da seita ‘Pai, Mãe e Vida’, acabou se tornando vítima ao ficar debilitada. “Vários registros encontrados em aparelhos eletrônicos mostram Djidja debilitada em estágio quase terminal, recebendo tortura da própria mãe, que resultou em sua morte. Há vários abusos de Cleusimar contra Djidja”, afirmou o delegado.

Mesmo vendo a filha em estado grave, Cleusimar não procurou assistência médica, levando ao agravamento da situação. Ela foi indiciada por tortura com resultado morte e outros treze crimes.

Operação Mandrágora

A Operação Mandrágora também identificou um esquema criminoso que promovia cultos religiosos utilizando entorpecentes. O grupo, liderado por Cleusimar, pretendia montar uma clínica veterinária para facilitar o acesso a medicamentos de uso controlado e fundar uma comunidade para manter os trabalhos doutrinários da seita.

Além de Djidja e Cleusimar, o esquema envolvia Ademar Cardoso e Bruno Rodrigues, irmão e namorado da ex-sinhazinha, respectivamente. Também foram implicados os funcionários Claudiele Santos da Silva, Verônica da Costa Seixas e Marlisson Vasconcelos Dantas.

O envolvimento dos funcionários foi comprovado por meio de vídeos e conversas em aplicativos de mensagens obtidos em seus celulares.

 


Siga-nos no Google News Portal CM7