Brasília Amapá |
Manaus

Denunciado por empregar funcionários fantasmas, Silas Câmara tem acesso rejeitado pelo STF no caso das “Rachadinhas” 

Compartilhe

Brasília – Envolvido em vários escândalos ao longo de sua trajetória na política, o deputado federal, Silas Câmara (Republicanos), é acusado de empregar funcionários fantasmas no seu gabinete, em Brasília.

Nesta segunda-feira (22),  o deputado perdeu mais uma, ele não teve acesso a “mina” que tanto sonhava, caso  tivesse, teria a possibilidade de preparar alguma argumentação para se defender antes mesmo da casa cair nos próximos dias.

Os advogados do representante da bancada evangélica do Amazonas, tiveram o pedido negado ao acesso prévio à sustentação oral da acusação de participação no esquema de “Rachadinhas” em 2001. Ou seja, ele não poderá saber o que está acontecendo no processo, já que ele é um dos principais investigados.

Vale ressaltar que em novembro de 2020, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso e Edson Fachin votaram pela condenação do deputado por peculato, que significa desvio de bens a que tem acesso.  Circula nos bastidores da política que até o final do primeiro semestre de 2021, muita gente vai cair do cavalo.

Leia também: 

Silas Câmara é alvo de novo inquérito no STF e Marcelo Serafim sob suspeita 

Filha de Silas Câmara faz festão em Brasília e gera revolta nas redes sociais


Siga-nos no Google News Portal CM7