Brasília Amapá |
Manaus

Caso Djidja: Marlisson Vasconcelos deixará prisão após decisão judicial

Compartilhe

Manaus – O maquiador Marlisson Vasconcelos Dantas deve ser liberado da prisão nesta sexta-feira (13), conforme decisão do juiz Rivaldo Matos Norões Filho, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Marlisson estava preso preventivamente desde o dia 31 de maio, acusado de envolvimento no uso de ketamina durante os rituais da seita “Pai, Mãe, Vida”.

A decisão judicial impõe a Marlisson diversas medidas cautelares, incluindo o uso de tornozeleira eletrônica, a proibição de frequentar bares e de permanecer na rua após as 18h, além da restrição de deixar Manaus sem autorização judicial.

Em nota, o advogado Lenisson Ferreira comunicou que “conseguiu a liberdade de seu cliente após apresentar argumentos que demonstraram que ele não preenchia os requisitos para a prisão”. A defesa argumentou que a decisão foi baseada na análise dos fatos apresentados, que demonstraram a possibilidade de Marlisson aguardar o desenrolar das investigações em liberdade, permitindo que ele se defenda adequadamente.

“O julgamento concluiu que a liberdade de Marlisson não coloca em risco a investigação, pois não há contemporaneidade nos fatos alegados, nem novos elementos que justifiquem a manutenção da medida extrema da prisão. No entanto, serão aplicadas medidas cautelares diversas da prisão”, afirmou o comunicado da defesa.

Marlisson se entregou à polícia após a decretação de sua prisão preventiva, em conexão com a investigação sobre a seita liderada por Cleusimar Cardoso e Ademar Cardoso, mãe e irmão de Djidja Cardoso. Djidja foi encontrada morta em 28 de maio, supostamente devido a uma overdose de ketamina, substância utilizada nos rituais da seita sob a promessa de alcançar uma plenitude espiritual.


Siga-nos no Google News Portal CM7