Brasília Amapá |
Manaus

Caso Djidja Cardoso: Maquiadora é interrogada sobre uso de Ketamina e seita religiosa

Compartilhe

Manaus – Nesta terça-feira (11), a maquiadora Claudiele Santos compareceu ao 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP) para prestar depoimento sobre o uso ilegal de ketamina e sua possível participação na seita Pai, Mãe, Vida, liderada pela família de Djidja Cardoso. A seita está sob investigação por utilizar a droga recreativa para promover uma falsa elevação espiritual entre seus seguidores.

É a primeira vez que Claudiele presta depoimento no 1º DIP em relação a essas investigações. O delegado responsável pelo caso, Cícero Túlio, explicou a importância desse interrogatório para o andamento das investigações.

“O fato dela ter sido chamada aqui é justamente para que a gente pudesse realizar o seu interrogatório afim de que ela prestasse esclarecimentos sobre a investigação (…) É a primeira vez que a gente chama ela. Vamos avaliar com base no que foi produzido nos outros interrogatórios, com os outros depoimentos a necessidade de fazer uma acareação ou mesmo reinquirir ela”, afirmou o delegado Cícero Túlio.

Claudiele Santos se entregou à polícia no dia 30 de maio, mas teve sua prisão preventiva convertida em domiciliar uma semana depois. A maquiadora é suspeita de colaborar com o esquema criminoso, que usava a seita para distribuir ketamina sob o pretexto de alcançar estados elevados de consciência.

A seita Pai, Mãe, Vida, ganhou notoriedade após a morte de Djidja Cardoso, ex-sinhazinha do Boi Garantido, cujas circunstâncias também estão sendo investigadas. As autoridades estão focadas em desmantelar o grupo e esclarecer o uso de substâncias ilícitas em rituais religiosos promovidos pela família de Djidja.


Siga-nos no Google News Portal CM7