Manaus 32º
quinta-feira - 24 de novembro de 2022

Alunos da UFAM desistem do curso após verem colega se jogar de ônibus em movimento para fugir de assalto

Compartilhe
Alunos da UFAM desistem do curso após verem colega se jogar de ônibus em movimento para fugir de assalto

Amazonas – Um estudante da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) acabou com pontos na testa após pular de um ônibus em movimento para escapar de um assalto. O caso aconteceu nesta quarta-feira (23) dentro do campus. Após o trauma, amigos do rapaz já declararam que vão desistir da Universidade.

Alunos e professores têm sofrido constantemente com a insegurança na instituição e cobram providências das autoridades.

O estudante, que não quis se identificar, relatou que dois homens entraram na altura da rotatória do bairro Coroado, há poucos quilômetros da faculdade. Assim que o ônibus acessou as dependências da Ufam, os criminosos anunciaram o assalto.

“Um deles sentou ao meu lado. O outro sentou atrás do motorista. Peguei o celular e mandei uma mensagem para a minha esposa. Logo depois de entrar na faculdade, o que estava atrás do motorista anunciou o assalto. O outro confirmou e saiu do meu lado”, explicou.

De acordo com o estudante, no momento do assalto, um dos homens pediu o celular, sabendo que ele teria aparelho, pois havia sentado ao lado dele. A vítima negou que tinha e, em um dos momentos de distração dos suspeitos, conseguiu esconder o celular embaixo do banco do ônibus.

Em um momento de distração dos suspeitos, a vítima conseguiu pegar o celular novamente e foi ameaçado pelos assaltantes.

Enquanto os suspeitos procuravam a arma, a vítima conseguiu abrir a porta do ônibus e pulou do veículo. “Abri a porta com força e saí, fiquei pendurado pela janela com o pé na escada. Observei a rua e estava mais rápido do que achava que estaria, mas nesse ponto não tinha escolha”, disse.

Na queda, o universitário bateu os joelhos, as mãos e levou quatro pontos na cabeça.

Alunos desistem de cursos por insegurança

De acordo com o vice-diretor do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), Fernando Marques, os assaltantes esperam o coletivo passar da entrada da universidade para anunciar o assalto.

“Eles esperam passar da entrada do mini campus porque sabem que a polícia não pode entrar, assaltam o coletivo e correm para a mata. Várias vezes essas têm tido notificações, temos alunos que estão fazendo desligamento do curso porque estão se sentindo inseguros”, afirmou.

No período da noite a situação se agrava, devido à falta de iluminação em alguns pontos do campus, segundo os universitários. Alguns alunos até decidiram pagar matérias durante a manhã, para fugirem dos riscos da noite.

Em maio, após o registro de ocorrências dentro da universidade, a assessoria da Ufam, o Departamento Estudantil e a PCU informaram que reuniões seriam realizadas para melhorar a segurança. De acordo com os alunos, mesmo com o reforço dos seguranças patrimoniais, os assaltos continuam.

Após o assalto registrado na quarta-feira, vários estudantes criticaram a situação em posts nas redes sociais.

 

Créditos: G1



Vitória Supermercados