Brasília Amapá |
Manaus

‘Demissão em massa’: Mark Zuckerberg dispensa mais de 11 mil funcionários da Meta, dona do Facebook

Compartilhe

Mundo – Mark Zuckerberg, CEO da Meta – empresa dona do Facebook, Instagram e Whatsapp – anunciou nesta quarta-feira (9) a demissão de mais de 11 mil funcionários. O número representa 13% da força de trabalho. Esse é o maior corte da história da companhia.

“Quero assumir a responsabilidade por essas decisões e explicar como chegamos aqui. Sei que é difícil para todos, e sinto muito pelos impactados”, disse Mark, em comunicado enviado aos funcionários.

Zuckerberg disse que errou ao apostar em um crescimento que começou com a pandemia, mas não veio a acontecer.

“No início da Covid, o mundo rapidamente se moveu online e a onda de comércio eletrônico levou a um crescimento maior da receita. Muitas pessoas previram que esta seria uma aceleração permanente que continuaria mesmo após o término da pandemia. Eu também. Tomei a decisão de aumentar significativamente nossos investimentos, mas isso não saiu como eu esperava. Não só o comércio online voltou às tendências anteriores, mas a crise macroeconômica, o aumento da concorrência e a perda de sinal de anúncios fizeram com que nossa receita fosse muito menor do que eu esperava. Eu errei e assumo a responsabilidade por isso”, explicou.

Nos Estados Unidos, os funcionários demitidos serão indenizados com 16 semanas de salário, mais duas semanas adicionais por cada ano de serviço, e terão plano de saúde familiar pelos próximos seis meses.

“Fora dos EUA, o apoio será semelhante, e os procedimentos levarão em conta as leis trabalhistas locais”, diz. Funcionários imigrantes também receberão um auxílio de um departamento especializado da empresa.

A ação de demissão vem após o aumento de investimentos no metaverso, universo virtual criado pela empresa para ser o “futuro da internet”. Para o empresário a Meta está “profundamente subestimada atualmente” e que seu negócio é “um dos mais lucrativos já criados, com um potencial gigante no futuro”.

Essa é a segunda demissão em massa de uma gigante da tecnologia no mês. No dia 4, o Twitter demitiu metade de seus funcionários após a compra pelo bilionário Elon Musk.

*Com informações do Hoje Em Dia*.


Siga-nos no Google News Portal CM7