Brasília Amapá |
Manaus

Brasileira contrai bactéria rara nos EUA e fica paralisada na UTI; família pede doação de R$ 1 milhão

Compartilhe

Mundo – A jovem Claudia de Albuquerque Celada, de 23 anos, originária de São Caetano do Sul (SP), encontra-se em uma situação delicada nos Estados Unidos, onde está internada desde fevereiro devido a complicações decorrentes de uma rara infecção por botulismo. A jornada da jovem, que foi fazer intercâmbio em Aspen, no Colorado, tomou um rumo inesperado quando os sintomas se manifestaram de maneira intensa, exigindo cuidados médicos urgentes.

A família de Claudia tem se mobilizado incansavelmente para trazer a jovem de volta ao Brasil, visando continuar seu tratamento em solo nacional. Contudo, o desafio financeiro se mostra significativo, uma vez que o transporte por UTI aérea estimado em US$ 200 mil (mais de R$ 1 milhão na cotação atual) se tornou uma barreira a ser superada. Em busca de apoio e solidariedade, foi criada uma vaquinha online para arrecadar os recursos necessários.\

Os relatos da irmã de Claudia, Luísa, descrevem a evolução rápida e assustadora dos sintomas, que culminaram em uma severa paralisia corporal. O diagnóstico de botulismo foi estabelecido posteriormente, desencadeando uma corrida contra o tempo em meio a um cenário médico complexo e desafiador.

A batalha familiar ganha novos contornos diante do desconhecimento dos custos totais do tratamento no exterior, sobretudo considerando a limitação dos recursos do seguro saúde disponível. A incerteza financeira se junta à angústia pela saúde de Claudia, que continua sob cuidados intensivos no Swedish Medical Center, em Denver.

Sintomas e internação pela doença rara

Em menos de 24 horas, Claudia estava com todos os músculos do corpo paralisados e respirando apenas por aparelhos.

Ainda de acordo com familiares, depois de exames, transferência de hospital, punções lombares e até transfusão de plasma, no dia 1º de março, a família recebeu o diagnóstico de botulismo.

O botulismo é uma doença extremamente rara, que destrói as ligações entre os nervos e os músculos, demorando diversos meses para se regenerarem.

Em contato à Gazeta, a família diz que Cacau ainda permanece internada nos EUA. A diária de internação no local custa em média 10 mil dólares (R$ 50,89 mil na cotação atual) e o seguro viagem que a mulher tinha já acabou.

“Só queremos voltar para perto do nosso pai, continuar o tratamento no Brasil. A situação já é difícil, mas num país que não é o nosso, num idioma que não é o nosso nativo, longe de todo mundo que a gente conhece, fica mais difícil”, disse Luisa Albuquerque, irmã de Claudia. A família mora em São Caetano do Sul, no ABC Paulista, na Grande São Paulo.

A família reforçou que o quadro de Claudia Albuquerque ficou estável e o hospital orientou que a melhor opção é contratar uma ambulância aérea e trazer a jovem ao Brasil para seguir o tratamento.

A média para uma aluguel de ambulância aérea é 200 mil dólares (R$ 1,017 milhão na cotação atual)


...........

Siga-nos no Google News Portal CM7