Brasília Amapá |
Manaus

Onda de Calor no Brasil pode fazer cidades como Manaus chegarem a até 45°C; veja vídeo

Compartilhe
Onda de Calor no Brasil pode fazer cidades como Manaus chegarem a até 45°C; veja vídeo

Brasil –  Uma onda de calor excepcional está prestes a se abater sobre o país, e as temperaturas podem chegar a impressionantes 45°C em algumas regiões. A MetSul Meteorologia emitiu um alerta preocupante, prevendo que várias áreas do Brasil experimentarão temperaturas muito acima da média para o mês de setembro, com potencial para quebrar recordes históricos.

Esta onda de calor é resultado de uma massa de ar extremamente quente que cobrirá o Brasil nos próximos dias. Já estamos sentindo o calor no Centro-Oeste e no Sudeste, mas a segunda metade da semana promete ser ainda mais quente, com temperaturas anormalmente elevadas. Embora o calor não seja incomum nessas regiões em setembro, a intensidade esperada desta vez é motivo de preocupação.

Segundo a MetSul Meteorologia, vários estados serão afetados por temperaturas extremamente altas. O calor intenso a extremo deve atingir o Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Rondônia, Amazonas, Pará, Tocantins, Bahia, Piauí e Maranhão. Os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, no Centro-Oeste, podem ver temperaturas máximas superando os 40°C na maioria das cidades, com marcas ainda mais extremas, chegando a 43°C a 45°C, especialmente na região do Pantanal e proximidades.

Veja vídeo:

A região do Centro-Oeste estará no epicentro dessa grande cúpula de calor, concentrada entre o Paraguai e os estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Pontos dessas áreas podem atingir temperaturas tão extremas quanto 43°C a 45°C.

As previsões também indicam que outras regiões não ficarão imunes a esse calor intenso. O Norte, Goiás, Sudeste e alguns estados do Nordeste, como o Oeste da Bahia, Maranhão e Piauí, também podem registrar temperaturas próximas ou acima dos 40°C. No Rio de Janeiro, algumas estações podem superar os 40°C no próximo fim de semana, enquanto em Minas Gerais, o Triângulo Mineiro e o Noroeste do estado serão as áreas mais afetadas pelo calor extremo, com máximas acima dos 40°C.

Os meteorologistas alertam que o pico do calor em intensidade deve ocorrer entre o final desta semana e o início da próxima. Modelos numéricos indicam temperaturas significativamente altas em altitudes de 1.500 metros, chegando perto de 30°C no Centro-Oeste do Brasil. Isso é característico de massas de ar extremamente quentes, semelhantes às que atingiram o Sudoeste dos Estados Unidos em julho deste ano.

Historicamente, o Brasil já enfrentou altas temperaturas, mas este evento de calor extremo está em um nível sem precedentes. O recorde oficial de temperatura mais alta registrada no Brasil foi de 44,8°C em Nova Maringá, Mato Grosso, em novembro de 2020, superando o recorde anterior de Bom Jesus, Piauí, de 2005, que era de 44,7°C. No entanto, com a intensidade prevista desta onda de calor, recordes mensais e até absolutos podem ser quebrados em várias cidades brasileiras.

A cidade de São Paulo, por exemplo, está se preparando para enfrentar temperaturas recordes, com máximas previstas de até 39°C. Em setembro de 2020, a cidade registrou sua segunda maior temperatura máxima da história, com 37,1°C, e a previsão atual sugere que essa marca possa ser superada.

Esta onda de calor é uma consequência do período de estiagem que afeta o Centro do Brasil de junho a setembro, aumentando as temperaturas e tornando as altas temperaturas mais frequentes do que no verão, quando a chuva é mais constante.

No entanto, o calor extremo traz sérios riscos à saúde e à vida das pessoas, especialmente para grupos vulneráveis como idosos e enfermos. O calor extremo é um causador silencioso de mortes, e estudos recentes sugerem que as mudanças climáticas estão aumentando a frequência e a intensidade das ondas de calor em todo o mundo, tornando-as mais letais.

Em 2021, uma cúpula de calor no Oeste da América do Norte causou a quebra de inúmeros recordes de temperatura e resultou em mais de 1.000 mortes. A cidade de Lytton, no Canadá, atingiu impressionantes 49,6°C, um recorde histórico, antes de ser devastada por um incêndio florestal alimentado pelo calor extremo.

Diante dessa situação, especialistas em saúde recomendam medidas de proteção, como manter-se hidratado, vestir roupas leves, proteger-se do sol, evitar atividades ao ar livre nos horários mais quentes e não deixar crianças ou animais de estimação em carros estacionados.

Essa onda de calor é um lembrete severo dos desafios que as mudanças climáticas apresentam e da necessidade urgente de mitigação e adaptação para proteger a vida humana diante dessas condições extremas. Portanto, é fundamental que todos estejam atentos e tomem medidas para se proteger do calor extremo nos próximos dias.

Referências:


...........

Siga-nos no Google News Portal CM7