Brasília Amapá |
Manaus

Saiba quem é a mulher que levou o cad4ver do tio ao banco; suspeita já recebeu R$ 30 mil de auxílios

Compartilhe

Brasil – A mulher que foi presa após levar o cadáver do tio ao banco para tentar um empréstimo, trata-se de Érika de Souza Vieira Nunes, de 42 anos. A mulher já recebeu R$ 30 mil do governo federal através de auxílios em seu nome, sendo inscrita no Bolsa Família em 2023 e parou de ser beneficiada em 2021. Ao todo, a estimativa é que a mulher já recebeu R$ 22,1 mil por meio do programa.

Além disso, ela ainda recebeu R$ 7,5 mil em 2020, que teria sido dividido em parcelas de R$ 1,2 mil por mês, do Auxílio Emergencial durante a pandemia de Covid-19.

Érika foi detida pela Polícia Civil e levada até a delegacia, onde afirmou ser a cuidadora do homem. Érika está presa suspeita de cometer estelionato e furto mediante fraude, após levar o corpo de seu tio, Paulo Roberto Braga, até uma agência bancária para tentar fazer um empréstimo de R$ 17 mil. O caso aconteceu em Bangu, zona oeste do Rio de Janeiro.

Os funcionários do banco suspeitaram da situação, pois o homem não conseguia nem segurar uma caneta para assinar o documento.

 

Chocante

No vídeo, gravado por uma das atendentes do banco, é possível ver o cadáver na cadeira de rodas, com a cabeça sendo sustentada pela mão da sobrinha. Para fazer o empréstimo, o homem deveria assinar um documento, o que não foi possível já que ele estava morto. Mesmo assim, Erika insiste: “Tio Paulo, tá ouvindo? O senhor precisa assinar. Se o senhor não assinar, não tem como. Eu não posso assinar pelo senhor, tem que ser o senhor. O que eu posso fazer, eu faço”.

Mesmo sem o tio mover um dedo, a sobrinha continua conversando com o morto, enquanto tenta fazer a mão do cadáver pegar a caneta: “Tipo igual o documento aqui, ó. Paulo Roberto Braga. O senhor segura, o senhor segura forte pra caramba a cadeira aí”.

Ao ver que estava difícil fazer a mão do tio pegar a caneta, a sobrinha pergunta para as atendentes: “Ele não segurou ali a porta?”. Duas vozes femininas respondem que não viram ele segurar.

“Segura, tio. Assina para não me dar mais dor de cabeça, ter que ir no cartório. Não aguento mais”, continua Erika.

Nesse momento, as duas atendentes começam a intervir, “ele não tá bem, não”. É quando uma mosca pousa no nariz do homem. Erika começa a perguntar ao cadáver: “Tá sentindo alguma coisa? Mas ele não diz nada!”. As atendentes repetem que o homem não aparenta estar bem, “a corzinha não tá ficando…”. Erika rebate falando que o tio é assim mesmo.

A sobrinha finaliza o vídeo perguntando ao tio morto: “Se o senhor não ficar bem, vou te levar para o hospital. Quer ir para UPA de novo?”.

A defesa da acusada, disse que “os fatos não aconteceram como foram narrados, o senhor Paulo chegou à unidade bancária vivo” e que a “Erika se encontra, totalmente abalada e dopada”.

Veja vídeo:


...........

Siga-nos no Google News Portal CM7