Brasília Amapá |
Manaus

Monstro: Padrasto é preso acusado de matar bebê de 6 meses

Compartilhe

Brasil – Na última sexta-feira, 16, após ter a prisão decretada pela Justiça, o padrasto Bruno Miziaria de Abreu, 26, foi encaminhado para a delegacia, suspeito de ter matado o enteado de 6 meses que morreu por asfixia no começo do mês em Bauru (SP).

Após a prisão, familiares do bebê se aglomeraram na porta da delegacia, onde o padrasto prestou depoimento. A prisão temporária de 30 dias foi pedida pela delegada Priscila Bianchini, da Delegacia de Defesa da Mulher, responsável pelo caso.

“O laudo necroscópico apontou morte por asfixia mecânica (quando há causa externa) e já foi anexado ao inquérito e agora vamos dar seguimento às investigações, vamos pedir aprofundamento em alguns pontos para o médico legista, mas o laudo já está anexado”, afirmou a delegada.

Ainda de acordo com Priscila, familiares do bebê já foram ouvidos e outras testemunhas devem prestar depoimento antes da conclusão do inquérito.

Entenda o caso

Em depoimento, o padrasto da criança disse à Polícia Civil que o bebê estava dormindo na cama do casal e teria se enrolado em uma coberta. Quando ele percebeu a situação, o menino já não respirava mais.

Segundo a polícia, o primeiro atendimento à criança aconteceu no quartel da Polícia Militar que fica perto da casa da família e para onde o tio levou a criança.

Ele pediu ajuda para tentar reanimar o bebê que chegou com quadro de parada cardiorrespiratória. Os enfermeiros do quartel fizeram os primeiros socorros até a chegada do médico do Samu.

O bebê foi levado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Núcleo Geisel onde teve outra parada cardíaca e não resistiu. Segundo os pediatras da UPA, os primeiros exames apontaram asfixia.

Fonte: G1


Siga-nos no Google News Portal CM7