Manaus 32º
quinta-feira - 24 de novembro de 2022

General do Exército diz que Moraes instalou a ditadura do judiciário: “Ele implantou a censura no Brasil”

Compartilhe

Brasil – Em uma longa análise sobre o cenário político do país, o general de Exército Roberto Câmara Senna fez duras críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF), em especial, ao ministro Alexandre de Moraes.

O militar publicou o posicionamento dele em um grupo fechado de WhatsApp, mas o texto viralizou em outras comunidades de direita.

Câmara Senna, que comandou as ações militares da Operação Rio em 1994 — quando o governo federal intercedeu na segurança do estado com tropas das Forças Armadas —, afirmou que o Brasil “vive um grave impasse político, em especial com a confirmação de um processo eleitoral ilegal e fraudulento, imposto pelo STF e o TSE [Tribunal Superior Eleitoral]”.

O general ressaltou que, sem a presença ativa do presidente Jair Bolsonaro (PL), o país vive uma “ditadura do Judiciário”. “Tudo isso sob a liderança autocrática, arrogante e ilegal do ministro Alexandre de Moraes”, disparou o general no texto.

“Ele implantou a censura no país, reprime as manifestações democráticas e persegue todos aqueles que contestam as eleições”, destacou.

*Com informações do Metrópoles*.



Vitória Supermercados