Manaus 27º
quinta-feira - 6 de janeiro de 2022

General assina documento que exige que militares se vacinem, usem máscara e não divulguem fake news

Compartilhe
General assina documento que exige que militares se vacinem, usem máscara e não divulguem fake news

Brasil – O comando do Exército divulgou um documento com diretrizes para o combate à Covid-19. Na lista, a cúpula militar determinou vacinação obrigatória para aqueles que retornarem ao trabalho presencial, distanciamento e uso de máscaras de proteção. Além disso, os militares estão proibidos de divulgar fake news e notícias enganosas sobre a pandemia.

O documento traz 52 pontos necessários para viabilizar o pleno retorno das atividades presenciais, incluindo a comprovação da vacinação e a adoção medidas de proteção individuais. A normativa é assinada pelo comandante do Exército, o general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira.

Entre os pontos, o Exército determina que:

1. Os militares e os servidores civis que retornarem de viagem internacional, a serviço ou privada, ainda que não apresentem sintomas relacionados à Covid-19, deverão realizar o teste molecular (RT-PCR) até 72 horas antes do embarque.

2. Para ações em campo, incluindo ações humanitárias e operações nas fronteiras:

– Estabelece que é preciso continuar adotando medidas de prevenção à contaminação pelo coronavírus;
– Recomenda o distanciamento social, o uso de máscaras e a higienização das mãos.

3. Permite o retorno das atividades presenciais:

– Desde que respeitado o período de 15 dias após imunização contra a Covid-19. Os casos omissos sobre cobertura vacinal deverão ser submetidos à apreciação do DGP (Departamento Geral do Pessoal), para adoção de procedimentos específicos;

O comandante-geral também informa que irá avaliar a continuidade de missões internacionais ainda não iniciadas, além de realização de eventos que promovam a aglomeração de pessoas.

Por fim, o documento proíbe que militares divulguem em suas redes sociais fake news acerca da pandemia, sendo obrigados a checar a informação antes de publicá-las, sob pena de sanções e punições.

 

 

Com informações via Pleno News

Vitória Supermercados