Manaus 32º
quinta-feira - 12 de maio de 2022

Fisiculturista ‘espertalhão’ é preso após se passar por médico espanhol para vender anabolizantes; ouça áudio

Compartilhe
Fisiculturista 'espertalhão' é preso após se passar por médico espanhol para vender anabolizantes; ouça ele falando

Brasil – O fisiculturista, identificado Valério Marques, foi preso na quarta-feira (11/5) em Belo Horizonte, Minas Gerais. O motivo da detenção: vender medicamentos e anabolizantes não autorizados no Brasil. Para isso, se apresentava como um médico endocrinologista, fisioterapeuta e educador físico espanhol. Longe da Europa, nasceu em Minas Gerais.

Escute áudio:

 

Para sustentar a mentira, usava até um sotaque falso. Também mostrava credenciais em seu perfil nas redes sociais, mas não tinha sequer formação na área da saúde. Ouça aos áudios divulgados pela polícia:

“Ele usava sempre esse sotaque, inclusive no atendimento às pessoas. Ele marcava horário, falava o horário que estava disponível para fazer o atendimento, marcava preço. Inclusive para enganar as pessoas, ele falava que ele atendia mais caro, que custaria R$ 800, que ele teria que fornecer a receita para pessoa comprar o medicamento e que, se ele atendesse na academia dele, seria R$ 200 porque não precisaria de pagar o hospital em tese, quando a gente sabe que ele não atendia em nenhum hospital. Ele não era médico”, relatou o delegado Rafael Alexandre de Faria ao G1.

Ele começou a ser investigado no início do ano. A Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão na casa e academia de Valério, onde encontraram R$ 20 mil em espécie, anotações, aparelhos celulares, computadores e os produtos proibidos: anabolizantes, esteroides e medicamentos de origem paraguaia e suíça.

O acusado alegou que as substâncias eram de consumo próprio e que o sotaque foi adquirido pela convivência com amigos. Admitiu não ter formação na área e ser apenas um fisiculturista, mas disse que fez um curso de fisiculturismo com matérias de nutrição e, por isso, se autoentitulava como fazia.

A polícia afirma que as investigações continuam apurando outros possíveis crimes, como exercício ilegal da medicina e estelionato, além de averiguar um eventual envolvimento da esposa do criminoso no esquema. Afirma ainda que as vítimas enganadas devem procurar a Polícia Civil.

 

Com informações via G1



Vitória Supermercados