Brasília Amapá |
Manaus

Enfermeira fica desaparecida por 1 semana após se endividar no jogo do Tigrinho: “estava viciada”

Compartilhe
Enfermeira fica desaparecida por 1 semana após se endividar no jogo do Tigrinho: "estava viciada"

Brasil – A enfermeira Gabriely Sabino, que estava desaparecida havia uma semana, entrou em contato com a família e foi encontrada. De acordo com informações da mãe dela, Cristiane Sabino, o contato foi na última sexta-feira (21).

“Na medida do possível, [ela] está bem, embora psicologicamente bastante abalada, com indícios de depressão. Mas, graças a Deus, ela está bem, com vida, fisicamente bem”, disse a mãe ao Estadão.

Segundo Cristiane, a filha ainda não conseguiu “se abrir direito”. Ela pretende prestar esclarecimentos à polícia nesta segunda-feira (24). A família não deu detalhes sobre como e onde ela foi encontrada.

A jovem estava desaparecida havia cerca de uma semana após deixar a casa dos pais, em Piracicaba, interior de São Paulo. Gabriely, que também trabalhava como motorista de aplicativo, deixou o carro em um estacionamento e teria tomado um ônibus com destino ao Terminal Tietê, na capital. A família temia algum desfecho violento.

“Estamos muito aliviados. Foram dias de pesadelo”, afirmou a mãe.

À polícia, o pai da jovem, Luís Sabino, disse que a filha estaria conversando com um desconhecido pelo celular. Após o desaparecimento, a família descobriu que ela tinha dívidas que podem chegar a R$ 20 mil. Parte desse montante foi obtida por empréstimo de dois amigos da família.

A enfermeira teria contraído dívidas, porque estaria viciada no “jogo do tigrinho”. O jogo é uma espécie de caça-níquel virtual, em que os jogadores apostam dinheiro com o objetivo de alinhar três figuras iguais em três fileiras, o que dá prêmios financeiros.

Cristiane contou ao Estadão que, depois do sumiço da filha, várias pessoas contaram que viram a jovem ao celular, jogando de forma insistente o “jogo do tigrinho”. A mãe acredita que isso pode ter contribuído para seu endividamento.

Como a jovem não tinha gastos fixos, pois os pais mantinham a casa, eles acreditam que ela estava sendo extorquida por alguém e tenha recorrido a agiotas para obter dinheiro. Segundo a mãe, ela tinha seu próprio dinheiro e não precisaria recorrer a empréstimos.

Embora trabalhasse e nunca tivesse relatado problemas financeiros, nas semanas anteriores ao desaparecimento, Gabriely pediu dinheiro emprestado a pessoas conhecidas da família.

Imagens de câmeras de segurança obtidas pela investigação mostram quando Gabriely deixa o carro em um estacionamento, sai com uma bolsa e uma sacola e se dirige em direção ao terminal rodoviário de Piracicaba. Moradora do Parque Orlanda I, Gabriely é solteira e não tem filhos.

Segundo a mãe, a família desconhecia o vício no jogo.

– A gente não sabia que ela tinha essas dívidas. Fomos procurar entender e algumas coisas vieram à tona, como a de que ela estava viciada no jogo do tigrinho, estava devendo para muita gente, inclusive agiotas. Por isso ficou com medo e fugiu. Ela sempre foi uma menina trabalhadora, nunca dependeu de ninguém, até surgir esse problema do vício.


Siga-nos no Google News Portal CM7