Brasília Amapá |
Manaus

Estudo investiga a influência que as mutações genéticas podem causar em pacientes com malária

Compartilhe

Manaus – Em Manaus, uma pesquisa apoiada pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado Amazonas (Fapeam), via Programa Institucional de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu (Posgrad), avaliou a influência de variantes genéticas nas recorrências da malária por Plasmodium vivax” sobre a dihidroartemisinina-piperaquina – DHA-PPQ (uma combinação de fármacos derivados da artemisinina utilizado como tratamento alternativo para malária não complicada).

Desenvolvido pela mestra em Doenças Tropicais e Infecções, Amanda Oliveira, sob orientação da professora Gisely Cardoso de Melo, o estudo foi realizado na Fundação de Medicina Tropical- Dr.Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), e é resultado da dissertação de mestrado.

A pesquisa consistiu basicamente em entender qual a influência que o organismo pode causar nos medicamentos usados para o tratamento da malária causada por Plasmodium vivax e, se isso, pode estar relacionado ou não com as recorrências da doença que são frequentes, principalmente em áreas endêmicas como é o caso do estado do Amazonas.

O estudo intitulado “Influência das variantes genéticas de CYP2C8, CYP2C9, CYP2C19, CYP3A4 e UGT2B7 nas recorrências de malária por Plasmodium vivax em indivíduos tratados com dihidroartemisinina-piperaquina”, foi o primeiro estudo a sugerir que as variantes em CYP2C8 (grupo de enzimas que são responsáveis pelo metabolismo de uma variedade de fármacos no nosso organismo) podem contribuir para falha terapêutica com DHA-PPQ, gerando recorrências.

Observa-se também com os achados da pesquisa a necessidade da execução de estudos sobre farmacogenética de antimaláricos, além da contribuição com novas informações no campo da medicina de precisão e no monitorando das terapias antimaláricas com derivados da artemisinina (grupo de fármacos que possuem a mais rápida ação de todos os medicamentos atuais contra a malária).

“O estudo buscou compreender como essas mutações, especificamente nos genes que são responsáveis por sintetizar essas enzimas, podem afetar nas recorrências da doença, e qual o impacto que isso pode causar no tratamento”, acrescentou Amanda.

Premiação

O resultado da pesquisa rendeu o 3º lugar à aluna no 58º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (Medtrop 2023), evento que reuniu profissionais e pesquisadores da área de saúde tropical, realizado entre os dias 10 e 13 de setembro, em Salvador (BA).

Para Amanda Oliveira, sem o suporte das agências de fomento, especialmente a Fapeam, aos programas de pós-graduação, seria quase impossível realizar uma pesquisa.

“Saber que podemos contar com o apoio e suporte da Fapeam é muito importante, porque nos mostra que estão acreditando que nosso trabalho será executado com excelência e que trará resultados relevantes à população”, concluiu a mestranda.

Sobre o Posgrad

O Posgrad visa apoiar a formação de recursos humanos altamente qualificados nos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu – PPGSS, aprovados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em instituições de pesquisa e ensino superior.

O Amazonas é o estado que mais investe na concessão de bolsas de mestrado e doutorado. De 2019 a 2023 já foram concedidas 4.678 bolsas para a formação de recursos humanos altamente qualificados, por meio da Fapeam, via Posgrad.


Siga-nos no Google News Portal CM7