Manaus

Catarinense é primeira brasileira a competir como pilota no rali Dakar

Compartilhe

Brasil – A edição 2023 do rali Dakar, disputado na Arábia Saudita e considerado o maior do mundo, tem, pela primeira vez, uma piloto brasileira. 

A catarinense Pâmela Bozzano, de 33 anos, compete na categoria protótipos leves, ao lado do navegador Carlos Sachs.  

Pâmela foi atleta de marcha atlética e participa de eventos de rali desde 2020. 

No ano passado, ela venceu os ralis RN1500 e Jalapão, além do tradicional Rally dos Sertões, este último com o marido, Ênio Bozzano, como navegador. As disputas foram na categoria de UTVs (Utility Task Vehicles, ou veículos utilitários multitarefa, na tradução do inglês).

A edição 2023 do rali Dakar, disputado na Arábia Saudita e considerado o maior do mundo, tem, pela primeira vez, uma piloto brasileira. 

A catarinense Pâmela Bozzano, de 33 anos, compete na categoria protótipos leves, ao lado do navegador Carlos Sachs.  

Pâmela foi atleta de marcha atlética e participa de eventos de rali desde 2020. No ano passado, ela venceu os ralis RN1500 e Jalapão, além do tradicional Rally dos Sertões, este último com o marido, Ênio Bozzano, como navegador. As disputas foram na categoria de UTVs (Utility Task Vehicles, ou veículos utilitários multitarefa, na tradução do inglês).

Restando três dias para o fim desta edição do Dakar, Pâmela e Carlos estão em 34º lugar da classificação dos Protótipos Leves. Na etapa desta quinta-feira (12), em que foram percorridos 427 quilômetros (km), eles ficaram na 27ª colocação. A classificação geral da categoria tem, na liderança, a parceria do navegador brasileiro Gustavo Gugelmin com o piloto norte-americano Austin Jones, campeã em 2022 na categoria de UTVs. A dupla de Ênio (piloto) com Luciano Gomes (navegador) ocupa a 36ª posição.

Na briga

Na categoria de carros – a principal do Dakar, com 73 inscritos – o veículo pilotado pelo brasileiro Lucas Moraes, com navegação do alemão Timo Gottschalk, está na vice-liderança, cerca de uma hora e 21 minutos atrás da parceria do catari Nasser Al-Attiyah com o francês Mathieu Baumel, atual campeã da prova. Nesta quinta, Lucas e Gottschalk finalizaram a etapa em quarto lugar, um posto à frente de Al-Attiyah e Baumel. A vitória foi da dupla formada pelo francês Sébastien Loeb (dono de nove títulos mundiais de rali) e o belga Fabian Lurquin.