Brasília Amapá |
Manaus

Cantora gospel abandona a carreira para se dedicar ao funk: “Tudo mudou depois que conheci a Anitta”

Compartilhe

Brasil – A capixaba de Vitória (ES) Stefani Cristina, de 19 anos, tinha 4 quando pediu ao pastor da igreja que frequentava para cantar uma música de Cassiane, uma das mais conhecidas cantoras gospel do país. Depois disso, não parou. Aos 10, gravou álbum e passou a fazer shows por igrejas e festivais. Na adolescência, conheceu as músicas de Anitta e, após uma depressão profunda que culminou numa tentativa de suicídio, passou a se inspirar na carioca de olho numa carreira internacional. 

“Meus pais vendem peixe numa vila de pescadores, em Jesus de Nazaré (ES), e só consegui lançar meu primeiro álbum porque eles trabalharam dobrado. Passei a vender o CD na feira. Aos 12, em 2016, fui descoberta pela produção de um programa de TV e a partir dali minha carreira deslanchou. Cheguei a fazer quatro apresentações por dia, em lugares distantes uns dos outros. Na maioria das vezes, me deslocava de ônibus, porque tinha pouco dinheiro e as igrejas não pagavam o transporte. Falavam que [o trabalho] era pela obra de Deus.”

“Até os 14 anos, me inspirava em grandes cantoras gospel como Cassiane, Lauriete e Priscila Alcântara. Mas, quando a Anitta estourou, me apaixonei. Estava com 16 e me apresentava na escola com músicas dela. Também curtia artistas internacionais como Bruno Mars, mas até então não pensava em sair do gospel.

Logo depois, enfrentei uma depressão profunda por problemas amorosos e relacionados ao meu corpo. Tentei suicídio. Com 18, passei três meses internada em uma clínica psiquiátrica, dopada por remédios.

Quando saí, decidi me lançar no funk. Gravei a primeira música, ‘Portas’, e recebi uma enxurrada de críticas pesadas. Falavam que eu estava me rebaixando. Diziam que eu tinha inventado uma depressão como desculpa para sair do gospel. Ouvi que eu deveria ter morrido. Mas não desisti.”

“Meu problema nunca foi a igreja. Falo com Deus todos os dias, peço ajuda, agradeço pelas oportunidades. Deus é meu maior aliado e sempre vou conversar com Ele. Mas, para os evangélicos, se você sai da igreja, é sinal de que esqueceu Deus”.

A jovem ainda relatou que pretende ignorar as críticas e seguir os passos da cantora Anitta.  “Hoje penso grande e quero conquistar vários públicos. Aprendi espanhol e inglês porque quero ter carreira internacional, além de atrelar meu nome a marcas. Vou estudar administração para ser dona da minha carreira.

Penso em fazer grandes parcerias, com artistas de vários segmentos, como a Anitta. Atualmente não existe artista como ela. Fico horas ouvindo suas palestras para aprender. Ainda vou chegar ao Grammy”, disse Stefani. 


Siga-nos no Google News Portal CM7