Brasília Amapá |
Manaus

Wilson Lima destaca redução da malária e reforça combate com novo plano de controle e equipamentos

Compartilhe
Wilson Lima destaca redução da malária e reforça combate com novo plano de controle e equipamentos

Amazonas – O governador Wilson Lima lançou, nesta quarta-feira (31/05), um plano de diretrizes para controle da malária no Amazonas e distribuiu 627 itens para combate à doença aos 61 municípios do interior. Na ocasião, ele destacou a redução de 43% nos casos de malária no estado este ano e reforçou a importância das parcerias para que a população tenha acesso ao diagnóstico e ao tratamento precoces.

“É importante que haja essa integração entre Governo Federal, Governo do Estado, as prefeituras e também organizações importantes como a OPAS, que é um braço da Organização Mundial da Saúde, para que a gente possa avançar e, de fato, eliminar a questão da malária. Nós avançamos muito no que diz respeito à ciência, às descobertas que foram feitas, o estado do Amazonas também é uma referência no tratamento à malária, com apoio que tem recebido de algumas instituições“, destacou Wilson Lima.

No Governo do Amazonas, as ações de combate e controle da malária são feitas pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM). O lançamento aconteceu na sede da própria FVS-RCP, na avenida Torquato Tapajós, bairro Colônia Santo Antônio, zona norte de Manaus.

A solenidade contou com a presença do responsável técnico pelo Programa Nacional de Eliminação de Malária do Ministério da Saúde, Cássio Roberto Leonel Peterka; da oficial nacional em Malária e Doenças Infecciosas Negligenciadas da Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), Sheila Rodrigues Rodovalho; de representantes dos municípios do Amazonas, incluindo prefeitos e gestores públicos, do deputado estadual Mário César Filho; além do secretário de Estado da Saúde, Anoar Samad, e da diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim.

“O Amazonas é um estado continental e vanguardista na questão do controle de malária, e hoje coloca um marco que é também a proposta de eliminação da malária. E isso é um estímulo para todos os outros estados da região amazônica brasileira que concentra 99% dos casos de malária”, avaliou Sheila Rodrigues Rodovalho.

Na programação, além do lançamento do “Plano Estadual de Eliminação da Malária no Amazonas”, que contém as diretrizes estaduais para fortalecer estratégias de controle dessa doença no estado, foi assinado o Termo de Compromisso de Gestão pelo Governo do Estado e Municípios, destacando o pacto político na gestão das ações de controle da malária nos territórios municipais.

Os 627 itens para controle da malária foram distribuídos aos 61 municípios do interior do estado que atuam por meio do Programa Municipal de Controle da Malária e incluem 45 motocicletas, 12 Botes c/ motor de 40 HP, 460 balanças de peso corporal e 110 microscópios bacteriológicos.

Malária no Amazonas
Neste ano, o Estado registra uma redução de 43% dos casos de malária entre janeiro e o início de maio deste ano, em relação a igual período de 2022 – queda de 20.016 para 11.391 casos no período comparado. Em 2022, o Amazonas totalizou 55.641 registros de casos, com queda 9% em relação a 2021.

“Melhoramos muito os índices de malária, nos últimos anos, e tem diminuído bastante, mas ainda temos um índice elevado. A meta do Ministério da Saúde é de até 2030 eliminarmos a malária, e até 2035 não termos nenhum tipo de malária aqui no Brasil, e vamos com certeza começar aqui pelo Amazonas”, destacou o secretário de Saúde, Anoar Samad.

Estratégias
Ao lançar o Plano de Eliminação da Malária, o governador Wilson Lima destacou que o Amazonas já é referência no combate à doença no Brasil e comemorou que o estado se tornou o primeiro do país a entregar o plano ao Ministério da Saúde, que reconhece os avanços do Governo do Estado nos últimos anos.

Segundo a FVS-RCP, o Plano Estadual de Eliminação da Malária no Amazonas possui quatro fases: a primeira é a de preparação, que lança o trabalho e busca a redução de casos; a segunda é a de Consolidação, que propõe cumprir a meta de reduzir o índice da doença até 2030; a terceira fase é a de Eliminação, visando manter o estado sem óbitos e sem transmissão; por fim, a quarta fase, é a de Prevenção, que é manter o Amazonas livre da malária até 2035.

Como estratégia diferenciada, o Estado possui ainda ampla rede de laboratórios, 916 ao total, que cotam com profissionais capacitados pela FVS-RCP, por meio do Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM), na oferta do diagnóstico precoce e também do tratamento, que é feito de forma gratuita na rede básica de saúde de acordo com o tipo de malária do paciente, peso, idade, e a presença de gestação.


Siga-nos no Google News Portal CM7