Brasília Amapá |
Manaus

Por que comemos peixe na Sexta-feira Santa?

Compartilhe

Manaus – A tradição de consumir peixe na Sexta-Feira Santa é profundamente enraizada em muitas culturas ao redor do mundo. Mas por que, nesse dia para a fé cristã, o peixe ganha destaque nas mesas? A resposta remonta a uma série de razões históricas, culturais e religiosas que moldaram essa prática ao longo dos séculos.

Não comer carne vermelha é vista como um gesto de penitência e sacrifício, refletindo a própria abstinência e sofrimento de Cristo. Historicamente, a proibição de comer carne vermelha na Sexta-Feira Santa tem suas raízes na tradição cristã, que remonta à Idade Média. Esta prática está ligada ao simbolismo religioso do dia, que marca a crucificação de Jesus Cristo.

Além disso, o peixe tornou-se um símbolo cristão, associado aos milagres de Jesus envolvendo pescaria e multiplicação de pães e peixes. Com isso, o peixe foi escolhido como uma alternativa à carne vermelha durante os dias de jejum e abstinência, incluindo a Sexta-Feira Santa, como uma espécie de honraria e respeito a essas tradições religiosas.

Em muitas comunidades cristãs antigas, especialmente aquelas localizadas longe do mar, o peixe era considerado um alimento mais acessível e disponível do que a carne vermelha.

A tradição de comer peixe na Sexta-Feira Santa junta o simbolismo religioso, a história cultural, além da prática culinária, e para muitos é mais do que apenas uma refeição; mas uma maneira de honrar a fé, a tradição e o sacrifício associados a este dia sagrado no calendário cristão.


Siga-nos no Google News Portal CM7