Brasília Amapá |
Manaus

Morre Marinildes Mendonça, primeira mulher a assumir a presidência do Tribunal de Justiça do AM

Compartilhe

Amazonas – Faleceu na madrugada deste sábado, 2, em São Paulo, Marinildes Costeira de Mendonça Lima, desembargadora aposentada e a primeira mulher a alcançar os mais altos postos na carreira jurídica do estado, faleceu aos 83 anos.

Seu legado na trajetória do Judiciário do Amazonas é indelével. Em 2002, assumiu a presidência do judiciário local, marcando um marco significativo como a primeira mulher a liderar essa instituição.

Sua atuação foi além dos limites do judiciário, quando, durante seu mandato, assumiu interinamente o governo do estado, substituindo o então governador Eduardo Braga e o vice Omar Aziz em seus impedimentos.

Com uma carreira marcada por feitos pioneiros, Marinildes foi a primeira juíza a ocupar a Corregedoria-geral de Justiça do Amazonas, além de ter desempenhado funções cruciais no Tribunal Regional Eleitoral, incluindo a vice-presidência e presidência da Corte Eleitoral.

Nélia Caminha Jorge, atual presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, expressou solidariedade aos familiares, amigos e todos aqueles impactados pela perda da Magistrada.

“Por todo seu legado, o Tribunal de Justiça do Amazonas se solidariza com os familiares, filhos e amigos da Magistrada Marinildes Costeira de Mendonça Lima, na certeza de que a fé os confortará neste momento de dolorosa perda”, declarou.

Nascida em Itacoatiara em 9 de novembro de 1940, Mendonça Lima ingressou na magistratura aos 27 anos.

Sua jornada incluiu a titularidade da comarca de Boca do Acre, em 1971, alcançando a posição de juíza de direito. Sua dedicação a esse campo a conduziu ao Tribunal Regional Eleitoral em 1982.

Além de sua notável carreira, Mendonça Lima era mãe da juíza Rebeca de Mendonça Lima e do presidente da Associação dos Notários do Estado, Marcelo de Lima Filho. Sua família, que inclui o esposo, Marcelo, filhos e netos, agora enfrenta a perda de um pilar importante.

Ela travava uma batalha contra um câncer nos últimos anos, mas sua determinação e contribuição para a justiça no Amazonas permanecem como um legado valioso.

A família ainda não divulgou detalhes sobre o velório e sepultamento, mas atualizações serão compartilhadas assim que disponíveis.

 

Siga-nos no Google News Portal CM7